A maioria das pessoas que não investem na bolsa de valores não sabem, mas existem dois tipos de ações: ações ordinárias (ON) e ações preferenciais (PN).

Embora as ações tenham um alto potencial de lucro e são um dos tipos de investimentos mais buscados na atualidade, é necessário conhecimento e prática.

Neste artigo você irá entender:

O que é uma ação

Antes de entender os tipos de ações existentes, vamos dar um passo para trás e entender primeiramente o que são ações.

Se você já sabe o que é uma ação, pode pular para o próximo tópico. Mas caso ainda não saiba, vamos nos atualizar.

Resumindo em única frase, uma ação representa uma fração do valor de uma empresa (ou sociedade anônima).

Quando uma empresa almeja crescimento, uma das formas de isso acontecer é por arrecadação de capital.

E uma das formas de arrecadar capital é por se tornar uma companhia de capital aberto e ofertar frações da sua companhia em forma de ações na bolsa de valores.

Mas não é qualquer empresa que pode fazer isso. As empresas que desejam se tornar uma companhia de capital aberto passam por um processo de abertura inicial de capital, conhecido também como IPO (do inglês, Initial Public Offering).

Fazendo esse processo, as ações são registradas na bolsa de valores e investidores e especuladores podem realizar seus investimentos a curto, médio e longo prazo.

Quando uma empresa faz isso, ela consegue arrecadar capital para realizar novos projetos e assim, crescer e ter maior valor de mercado.

Para saber se vale a pena ou não comprar ações das empresas, os investidores podem realizar análises, como a fundamentalista e a técnica e assim, obter dados suficientes para realizar alguma compra ou venda de uma ação.

Agora que você entendeu o que é uma ação e sua função, vamos entender quais são os tipos de ações.

Curso Bolsa de Valores

Tipos de ações

Se você está começando a investir e já deu alguma olhada nas ações negociadas na bolsa de valores, deve ter reparado que cada ação tem um código que é formado por:

  • quatro letras e
  • um número.

As letras representam a sigla da ação. Por exemplo:

  • PETR (Petrobrás);
  • ITUB (Itaú);
  • LAME (Lojas Americanas);
  • VALE (Vale);
  • USIM (Usiminas);
  • ABEV (Ambev);
  • etc.

Agora os números que ficam na frente das letras representam o tipo de ação, que pode ser ordinária (ON) ou preferencial (PN).

Essas ações são vinculadas ao CPF e ao nome do investidor e ficam registrados na bolsa de valores, a B3 e no Livro de Registro de Ações Nominativas da empresa. Assim, elas são ações nominativas.

Esses tipos de ações existem para diferenciar quem tem preferência na distribuição de dividendos e quem tem direito a voto nas assembléias.

Agora vamos entender melhor os dois tipos de ações.

O que são ações ordinárias (ON)?

Ações ordinárias (ON) são ações que garantem aos investidores o direito a voto nas assembléias e podem participar nas decisões da companhia, porém, embora podem votar e participar nas decisões, eles não têm poder de veto.

E caso a empresa contraia dívidas, os investidores de ações ordinárias não se responsabilizam por elas. Isso fica na responsabilidade de quem é controlador.

Mas, se você está pensando em comprar alguns lotes de ações ordinárias da Petrobrás com o intuito de votar e mudar alguma decisão, saiba que seu voto pode ser “inexpressivo”.

Digo isso porque até 28/04/2016, a Petrobras tinha um total de 13.044.496.930 ações, sendo 7.442.454.142 ações ordinárias.

Assim, digamos que você compre 5.000 ações ordinárias, você teria cerca de 0,000000671% das ações existentes e isso não alteraria em nada na companhia.

Por isso, é necessário uma grande quantidade de ações para obter poder de voto.

Um ponto a ser observado é que em caso a empresa venha a sofrer liquidação, quem tem ações ordinárias não tem preferência, ficando atrás dos acionistas prioritários e dos credores.

Liquidez

Uma outra característica das ações ordinárias é que elas possuem menos liquidez que as preferenciais, o que de certa forma não é recomendado para pequenos investidores.

Tag Along

Uma característica importante para quem possui ações ordinárias é que eles podem participar de um processo chamado tag along.

Mas o que seria isso?

Imagine que uma empresa compre 50%+1 das ações de uma outra empresa, passando assim a possuir o controle dela por obter mais da metade das ações.

As ações da empresa comprada estão cotadas a R$15,00, mas a empresa compradora oferece R$20,00 pelas ações dos controladores (dos que possuem 50%+1).

Mesmo os que não estão no controle da empresa, têm o direito de vender suas ações no valor de 80% a 100% do oferecido pela empresa compradora, dependendo do mercado na qual ela está listada.

Assim, quem possui ações ordinárias podem vender as suas ações no valor de R$16,00 (80%) ou R$20,00 (100%).

Esse é um direito garantido pela Lei das Sociedades Anônimas.

Assim, investidores a longo prazo podem se beneficiar deste processo.

O que são ações preferenciais (PN)?

As ações preferenciais (PN), como o nome já diz, são ações que dão preferência para o investidor.

Ao contrário das ações ordinárias, as ações preferenciais não dão direito a voto, não garantem o tag along, mas possuem maior liquidez e somado à preferência de receber dividendos, passa a ser o tipo de ação mais recomendado para pequenos investidores.

Dividendos

Como já dito, uma das maiores vantagens que as ações preferenciais possuem é o fato de obter preferência no recebimento de dividendos.

Pela lei, o pagamento de dividendos para acionistas com ações preferenciais deve ser 10% maior do que o pago para os que possuem ações ordinárias.

E, caso o investidor não receba os dividendos por três anos seguidos, ele pode obter (dependendo do estatuto da companhia) direito a voto, assim como quem tem ações ordinárias.

Classes das ações preferenciais (PN)

Uma das características que as ações preferenciais possuem é a diferenciação por classe. Elas podem ser da classe A, B, C ou D.

Cada classe possui seus respectivos direitos e restrições e para entender o que cada uma concede, é preciso ler os estatutos da companhia.

Agora que você já sabe a diferença entre ações ordinárias e preferenciais, vamos ver como identificar cada tipo de ação ao ler os códigos das ações.

Código das ações

Na bolsa de valores existem padrões específicos para identificar ações preferenciais e ações ordinárias e como dito no começo do artigo, isso é feito pela numeração.

Após a sigla da empresa, você pode encontrar esses números:

  • número 3: para ações ordinárias;
  • número 4: para ações preferenciais;
  • número 5: para ações preferenciais de classe A;
  • número 6: para ações preferenciais de classe B;
  • número 7: para ações preferenciais de classe C;
  • número 8: para ações preferenciais de classe D.

Alguns exemplos

  • KROT3: ação ordinária da Kroton;
  • PETR4: ação preferencial da Petrobras;
  • BRKM5: ação preferencial de classe A da Braskem.
  • ELET6: ação preferencial de classe B da Eletrobras.

Units

Além desses códigos, você pode encontrar um número 11 nas terminações.

Esse número representa o que chamamos de units ou certificado de depósito de ações, que são um grupo de ações (ordinárias e preferenciais) negociadas em conjunto.

Exemplos de units: SANB11 (Santander), BOVA11 (Bovespa), ABRE11 (Abril Educação).

Qual escolher: ações preferenciais (PN) ou ações ordinárias (ON)?

Muitos investidores que estão começando têm essa dúvida, mas não existe uma resposta concreta dizendo: compre ações ordinárias ou compre ações preferenciais.

Tudo vai depender do que você deseja baseado nas características de cada tipo de ação e nos seus objetivos como investidor ou trader.

Preferenciais (PN) são melhores para boa parte de investidores, porque são pagadoras de dividendos, juros sobre capital próprio e subscrição.

Se você tem dúvidas ou não sabe muito bem quais objetivos traçar, você pode conversar com especialistas capacitados para te ajudar.

Conheça uma equipe que está pronto para te ajudar de forma gratuita.

A pontuação dos nossos leitores
[Total: 4 Média: 5]