Se você nunca investiu em bolsa de valores, mas tem vontade de aprender, você precisa primeiramente aprender sobre a análise técnica de ações.

Afinal, essa é a técnica usada para analisar os gráficos e os dados das ações e é por meio dela que encontramos oportunidades na bolsa de valores.

Claro que apenas com a prática e as situações do dia a dia você ganhará a experiência necessária para ser bem sucedido, mas este artigo o ajudará a entender tudo o que é necessário para começar.

Embora não tenhamos como prever o futuro, por meio da análise do passado e presente, podemos ter mais probabilidade de acertos em nossas decisões. 

Continue lendo este artigo se você quer aprender:

  • O que é Análise Técnica
  • Análise Técnica x Análise Fundamentalista: qual a diferença?
  • Como funciona a Análise Técnica
  • Os gráficos
  • Os candles
  • Os indicadores na Análise Técnica
  • Como continuar estudando Análise Técnica?

O que é Análise Técnica

Análise Técnica, que também é conhecida como Análise Gráfica de Ações, é uma ferramenta onde investidores e especuladores (ou traders) utilizam para estudar o mercado de renda variável. 

Nele, são buscadas oportunidades que podem ser operações que duram minutos, horas (day trade) dias ou semanas (swing trade). 

É por meio desse estudo ou análise que é possível identificar o melhor momento de compra ou venda de um ativo em uma determinada operação. 

Essas análises tendem a aumentar as probabilidades de sucesso e diminuir as chances de perda, mas isso não significa que eles conseguem prever o que irá acontecer no futuro. Eles apenas identificam o caminho com mais chances de dar certo.

Como Selecionar e Comprar Ações?

Mas o que se estuda na análise técnica?

Bem, de modo simples, a análise técnica estuda os preços e volume dos ativos. Isso é feito por meio de plataformas gráficas que auxiliam nesses estudos. 

Essas plataformas também disponibilizam indicadores que ajudam na tomada de decisões. 

Também é possível identificar tendências de baixa ou de alta, baseando-se em alguns fatores como volume, movimentação dos ativos e sinais gráficos.

Sendo assim, quem se baseia na análise técnica para investir tende a não ser influenciados por notícias do mercado, pois eles acreditam que já tem tudo o que precisam saber nos gráficos e que notícias sempre dão informações atrasadas. 

Eles observam padrões que tendem a acontecer e abrir oportunidades de lucro a curto prazo.

Análise Técnica x Análise Fundamentalista: qual a diferença?

Se você já ouviu falar da análise técnica, provavelmente deve ter ouvido falar da análise fundamentalista.

Mas afinal, existe diferença entre elas? Sim, e vamos explicar um pouco sobre.

Enquanto a Análise Técnica geralmente é usada no curto prazo, a Análise Fundamentalista é usada no médio/longo prazo.

Isso se dá porque a Análise Técnica se estuda o movimento dos preços pelos gráficos enquanto a Análise Fundamentalista se baseia em demonstrações financeiras, balanço patrimonial, demonstração de fluxo de caixa, demonstração de resultados e outros dados.

Ao olhar os gráficos, os traders observam os padrões, tendências e a movimentação dos preços para tomar suas decisões enquanto os investidores que usam os fundamentos analisam os pontos negativos e positivos dos seus estudos.

Na Análise Técnica, acredita-se que o real preço de uma empresa está na ação, que tudo já está precificado. Na Análise Fundamentalista, acredita-se que é necessário encontrar o valor real da empresa e ao comparar com o preço de mercado, ele realiza a tomada de decisão ao investir ou não em determinada empresa.

Geralmente quem usa Análise Técnica são os especuladores, também conhecidos como traders, ao contrário dos investidores, que geralmente usam Análise Fundamentalista. 

Isso acontece porque os especuladores não têm interesse nenhum no bem da empresa. O que ele deseja é apenas boas oportunidades. 

O investidor já é diferente. Ele coloca seu capital naquilo que ele acredita que pode aumentar o valor do que ele tem. 

Como funciona a Análise Técnica

Agora que você entendeu que a Análise Técnica é muito usada para encontrar oportunidades no curto prazo estudando os preços através dos gráficos, vamos entender como tudo isso funciona.

Um dos princípios básicos que nos ajuda a entender como tudo funciona é entender a lei da oferta e demanda. 

Essas duas forças fazem parte do nosso cotidiano e basicamente elas garantem o funcionamento de um mercado.

A lei da oferta e demanda

Basicamente a oferta é a quantidade que um produto disponibiliza, já a demanda (ou procura) é a quantidade que os consumidores querem ou podem adquirir.

Se houver mais produtos do que interessados o que vai acontecer? Isso mesmo, os preços tendem a cair. 

O contrário também acontece. Se a quantidade de produtos é baixa e o interesse é grande, os preços tendem a subir. 

Por exemplo, se uma ação está cotada em R$25,00 é porque existem pessoas dispostas a pagar por esse preço. 

Caso o preço dela suba para R$30,00, isso significa que a procura é maior e que as pessoas estão dispostas a pagar mais caro por ela, acreditando numa futura valorização. 

O inverso também pode acontecer. Se ela cai para R$20,00, isso significa que houve uma perda de interesse nas ações, onde as pessoas não estão dispostas a comprar por R$25,00 e elas vendem suas ações por um preço menor. 

Sim, o valor da ação reflete a relação entre compradores e vendedores. 

O que difere na bolsa de valores é a velocidade em que tudo acontece. Tudo ocorre de uma forma muito rápida e em pouco tempo tudo pode mudar. 

Por isso que a Análise Técnica é bastante usada. É por meio dela que as pessoas interpretam o que acontece no mercado e por meio de suas ações, determina-se o preço de uma ação. 

Isso é muito importante. Não é uma declaração polêmica ou uma notícia que irá determinar o preço da ação, mas é como isso será interpretado na hora de comprar ou vender determinado ativo. 

Mas, como em todo estudo, analisar padrões de comportamento ajuda a se antecipar e tomar decisões mais precisas. Por isso, antes de estudarmos alguns desses padrões, vamos analisar como funciona o gráfico. 

Análise Técnica: os gráficos

Uma das ferramentas utilizadas para observar o mercado são os gráficos. Você poderá estudar ações, índices e contratos futuros observando os gráficos formados pelos movimentos dos preços. 

Tudo isso pode ser feito em tempo real. 

Uma das vantagens é poder observar essas movimentações ao longo do tempo em diferentes períodos, o que chamamos de tempos gráficos.

Você pode observar a movimentação dos preços em minutos, horas, dias, semanas, meses e anos, dependendo da disponibilidade da plataforma que você estará usando e do que você irá analisar. 

Se você nunca viu uma tela de um gráfico, ele é semelhante a este:

BRSR6

Na vertical, você pode observar o preço de um ativo, enquanto no eixo horizontal, podemos observar o tempo gráfico, sendo representado por cada informação que aparece.

Podemos encontrar vários tipos de gráficos. Entre eles, você poderá ver:

  • Gráfico de Linha;
  • Gráfico de Barras;
  • Gráfico de Candlesticks.

Vamos entender um pouco de cada um deles a seguir.

Gráfico de linha

Podemos dizer que o gráfico de linha é o mais básico de todos eles e é semelhante aos gráficos que vemos em apresentações onde mostra a evolução de algo. 

PETR4 Gráfico de linha

Ele geralmente apenas apresenta o preço do fechamento de um determinado ativo, como você pode observar na imagem acima em um gráfico que o Google oferece. 

Em geral, por ser o mais simples, este tipo de gráfico é o menos utilizado para estudos, se comparado com os outros dois que veremos a seguir.

Gráfico de barras

O gráfico de barras já possui uma certa evolução se comparado com o gráfico de linha. Ele oferece mais informações para quem está procurando oportunidades de compra ou venda de ativos. 

Além do preço de fechamento, ele pode mostrar o preço de abertura (quanto a ação valia no início das negociações) e os preços mínimos e máximos que se atingiu durante determinado tempo gráfico. 

Na imagem abaixo, você poderá observar no lado esquerdo um sinal gráfico que perdeu valor e na direita um que valorizou.

Gráfico de barras

Assim, quem está operando consegue obter mais informações. Segue abaixo um exemplo do gráfico de linha:

Gráfico de barras

Gráfico de candlesticks

O gráfico de candlesticks é o mais completo e mais usado gráfico utilizado por quem opera no mercado de renda variável.

Embora ele informe as mesmas informações do gráfico de barras como preço de abertura, preço de fechamento, preços mínimos e máximos, ele possui um visual muito mais atraente e didático. 

Isso ajuda quem opera a tomar ações mais rápidas e a entender os gráficos de uma maneira mais rápida. 

Candlesticks é uma palavra da língua inglesa que significa literalmente castiçais ou candelabro (que é um castiçal com vários braços). Basicamente é uma peça que suporta várias velas. 

Esse gráfico teve início no século 18, onde japoneses desenvolveram um método de análise técnica para analisar os preços do arroz. 

candlesticks

Esse gráfico tem esse nome porque ele carrega várias velas, conhecidas também como candles, que são sinais que vemos no gráfico.

Cada candle informa a negociação de um ativo em um determinado período e pela sua cor, podem informar se um ativo está com os preços em alta ou em baixa. 

Geralmente nas plataformas, quando o candle está verde é porque os preços estão em alta, enquanto na queda eles são pintados de vermelho. 

Na imagem abaixo você pode ver um exemplo desse gráfico.

gráfico de candlestick MGLU3

Agora, vamos entender como funciona a composição de um candle.

Candles

Como vimos anteriormente, o gráfico de candlesticks possui vários candles. Cada candle representa a movimentação dos preços de um determinado ativo em um determinado período.

Por exemplo, quando observado no tempo gráfico no período de um dia ou diário, cada candle representa um dia de negociação do ativo. 

candle-de-baixa-candle-de-alta

Como podemos ver na imagem acima, cada candle pode ser composto por um corpo e sombras. 

O corpo é formado quando há diferença entre o preço de abertura e o preço de fechamento.

Caso a diferença represente queda, ele automaticamente fica da cor vermelha, por exemplo. Se a diferença for positiva, ele ficará verde. 

E se o preço não mudar, sendo o preço de fechamento igual ao preço de abertura?

Bem, nesse caso ficará apenas uma linha, como você pode ver na imagem abaixo.

doji

Esses tipos de candles são chamados de dojis. 

As sombras representam os valores mínimos e máximos. 

Por exemplo, imagine que uma ação inicie suas negociações com o valor de R$20,00 e você está observando o candle no gráfico diário.

Durante o dia o valor das ações caem e chegam a valor R$18,00 mas com o tempo chegam a valor R$25,00 e fecham o pregão valendo R$22,00.

Como o valor de abertura foi R$20,00 e o de fechamento foi R$22,00, o candle ficará verde. Como o valor mínimo atingido foi de R$18,00, haverá uma sombra embaixo do candle, representando este valor mínimo. Da mesma forma, como o preço máximo foi R$25,00 haverá uma sombra um pouco maior acima do candle. 

Quanto maior for a diferença entre o preço de abertura e o de fechamento, maior será o candle. Por isso que eles têm tamanhos diferentes:

grafico-acoes-candles

Quando vemos vários candles juntos, podemos observar que eles realizam um certo movimento, um certo padrão. 

Estes padrões, quando conhecidos, podem aumentar uma probabilidade de acerto nas operações de compra ou venda de ativos

Alguns desses candles podem sinalizar que o movimento de alta ou de baixa de fato podem acontecer, o que é chamado de candle de força.

Outros já configuram uma figura de reversão de movimento, onde uma força, quer ela seja compradora, quer vendedora, enfraquece e muda de movimento ou tendência.

Candle de reversão

Como você já deve ter reparado, os preços fazem movimentos para cima e para baixo. 

Mas quando eles enfraquecem?

Uma das maneiras de descobrirmos é observando a sombra do candle. No caso, se o movimento for de baixa, o candle de reversão terá uma grande sombra abaixo dele, significando que ele atingiu preços mínimos, mas perdeu força e agora começa a subir. 

Um exemplo de candle de reversão pode ser visto nesta imagem:

grafico de ações BRFS5

O mesmo acontece quando o movimento está em alta, a sombra acima do candle tende a ser grande e sinalizar que ele perdeu força. 

Outro exemplo de candle de reversão pode ser visto nesta imagem:

LAME4 gráfico ações

Esse é um dos modos de se aproveitar as oportunidades na bolsa de valores por meio do uso da Análise Técnica. 

Um outro modo é por meio dos candles de força.

Candles de força

Candles de força indicam que a tendência , quer seja de alta ou de baixa, tem grandes chances de continuar seguindo em frente. 

Uma das maneiras de observarmos estes candles é pela curta sombra formada, pelo rompimento dos topos e fundos anteriores e por alguns outros padrões de candles. 

Aproveitando que estamos falando de topos e fundos, vamos falar um pouco sobre alguns indicadores da Análise Técnica.

Indicadores da Análise Técnica

Topos e Fundos

Entendendo que os preços nunca vão seguir em linha reta, podemos entender assim que eles fazem certos movimentos, para cima e para baixo, parecendo um certo zigue-zague.

Esses movimentos podem topos e fundos no gráfico. 

Qual é o objetivo de identificar topos e fundos?

Um dos motivos é que nos ajuda a identificar tendências. Quando a ação segue em tendência de alta ou de baixa, é comum ver movimentos como o de uma montanha, criando seus picos. 

Veja um exemplo de tendência de alta:

tendência de alta
linha de tendência de alta

Agora veja um exemplo na tendência de baixa:

tendência de baixa
linha de tendência de baixa

Repare que na tendência de alta os topos fecham acima dos topos anteriores e na tendência de baixa os fundos se formam rompendo o fundo anterior.

Isso nos ajuda a entender que o ativo está sempre em tendência e podemos dividir essas tendências em três tipos: tendência de alta (altista), tendência de baixa (baixista) e tendência lateralizada (lateral).

Tendência de Alta

Tendências de alta acontecem porque a força compradora, que possui maior demanda, tem mais pressão do que a força vendedora, o que faz com o que os preços subam. 

Outro termo usado para identificar tendências de alta é o “bullish” (bull, touro em inglês), que tem origem no movimento do touro, erguendo-se de baixo para cima.

Tendência de Baixa

Já as tendências de baixa acontecem porque a força vendedora, que tem maior oferta, tem mais pressão do que a força compradora, o que faz com que os preços caiam

O termo usado para identificar essas tendências é “bearish” (bear, urso em inglês), que tem origem no movimento do urso, atacando de cima para baixo. 

Tendência Lateralizada

Existem momentos no mercado que há um equilíbrio entre as forças compradoras e vendedoras.

Quando isso acontece, dizemos que o mercado está sem tendência ou andando de lado. 

Geralmente se cria uma zona de lateralização e espera-se o rompimento para ser traçado uma tendência no gráfico.

tendência bolsa de valores

Suporte e Resistência

Uma das coisas importantes na análise técnica é o entendimento de suporte e resistência nos gráficos.

Imagine que está acontecendo uma tendência de baixa. Suporte é uma linha que podemos  traçar e que nos informa que há uma grande possibilidade do preço parar de cair e até mesmo poder voltar a subir.

Isso nos ajuda a entender que nessa linha de preço, há bastante interesse na compra, o que eleva o preço do ativo. O que gera oportunidades de compra.

Caso o preço do ativo continue rompendo o suporte e caindo, pode-se acreditar que a tendência é que continue a cair até um próximo suporte. 

BRML3

Já a resistência acontece ao contrário: o preço tende a parar de subir, cria-se uma tensão entre as forças e ele pode cair.

Embora muitos aguardam uma confirmação do mercado, enquanto outros não, caso haja uma reversão de movimento, surge oportunidade na venda do ativo.

Caso rompa a resistência, há possibilidade de compra.  

FIBR3

Como continuar estudando Análise Técnica?

Se você quer começar a entender em detalhes cada passo a passo, usando estratégias no mercado para diferentes situações e aprender a ter uma mente de um investidor independente, convido você a aprender um pouco mais com o curso: Investidor Independente.

A pontuação dos nossos leitores
[Total: 1 Média: 5]