Economizar dinheiro não é das tarefas mais fáceis que temos em nossa vida. A falta de educação financeira, o fácil acesso ao crédito e o apelo ao consumo ao qual estamos expostos todos os dias são fatores que dificultam nossa organização financeira.

Diante desta dificuldade, como economizar dinheiro, afinal de contas, e manter uma vida financeira organizada? É sobre isso que falaremos no artigo de hoje.

Continue a leitura e aprenda como economizar dinheiro com eficiência a partir de 8 dicas práticas!

Economizando no cafezinho?

A primeira coisa que você precisa saber quando o assunto é economizar dinheiro é que nem todas as atitudes nos levam a reduzir custos, na prática, são efetivas. Isso porque o esforço e o que você perde com essa atitude podem não compensar caso o custo não seja tão relevante.

Por exemplo:

Será que vale a pena cancelar sua assinatura da Netflix com custo mensal entre 19,00 e 39,00 reais e não ter acesso a todo seu conteúdo e, em uma única ida ao cinema no mês, gastar mais do que isso?

É exatamente aí onde entra a famosa expressão “cortar no cafezinho”. Muitas vezes, estamos cortando no cafezinho diário, que tem um baixo custo se consideradas as despesas do mês, mas continuamos com os custos mais relevantes e atitudes mais prejudiciais no que se refere a economizar dinheiro!

O ideal, portanto, é que a economia seja feita em pontos específicos do seu orçamento, buscando a melhor relação entre a vantagem que obtemos com determinado gasto e o custo dele.

Você também deve ter em mente que a organização é a base do planejamento financeiro e da manutenção de uma vida financeira saudável. Por isso, para economizar dinheiro, basta manter bons hábitos financeiros.

A seguir você confere 8 dicas práticas e fundamentais para se organizar melhor e economizar dinheiro de maneira eficiente. Confira!

1. Mensure os seus gastos

Só pode ser avaliado o que é medido. Portanto, o primeiro ponto para se organizar financeiramente é ter clareza de quanto dinheiro entra e quanto sai – e para onde ele vai.

Por meio de aplicativos, planilhas ou anotando em um caderno é possível registrar os gastos para fazer o principal balanceamento de seu planejamento financeiro. Tenha sempre em mente que seus gastos precisam caber no seu orçamento! 

A antiga fórmula de gastar menos do que ganha não é mágica, mas funciona com qualquer pessoa. Não tem erro! 

Contudo, caso você perceba que, no seu caso, esta fórmula não tem funcionado, continue acompanhando as próximas dicas e saiba como diminuir seus gastos.

2. Reveja as assinaturas de planos mensais de custo relevante

Algumas assinaturas mensais podem realmente nos entregar um serviço importante (mesmo que de lazer, afinal, precisamos dele!) por um custo acessível. Mas, outras vezes, esse custo pode ser alto em relação ao que entrega e ao que facilita ou beneficia nosso dia a dia.

Assinaturas de clubes de produtos, como de vinho, cerveja, revistas e mais uma infinidade de opções são realmente uma ótima solução para receber o produto escolhido de um especialista, de maneira organizada e recorrente. Porém, se realmente você está buscando se organizar financeiramente, e precisando economizar, esse tipo de assinatura pode ser um custo não tão essencial. Concorda?

Além disso, elas tendem a ter um valor mais elevado mensalmente, já que entregam um produto, englobam um custo de entrega e a logística. E, geralmente, estes são produtos que não fazem parte da lista de produtos essenciais.

Isso não significa que o corte neste gasto deve prejudicar sua rotina. Ao contrário do que você possa pensar, não é preciso deixar de consumi-lo! 

É possível comprar um item desse separado em um mês, aproveitando alguma oportunidade. Por exemplo, uma promoção de vinho em um supermercado. 

3. Implemente em sua casa uma alimentação organizada

Sim!! Alimentação faz parte desta lista com 8 dicas para você se organizar e economizar dinheiro ao longo dos meses.

Aliás, você sabia que o item alimentação está no topo de gastos das famílias? Economizar com este item, no entanto, não significa comer menos.

Uma forma eficiente de diminuir esse elevado custo pode passar por otimizar as compras e também pela forma de fazer as refeições. Planeje as compras do supermercado: organize os próximos cardápios e faça uma lista de compras. 

Utilizar uma lista no supermercado é um habito infalível! E, caso queira controlar melhor ainda, utilize a calculadora do celular e já verifique o valor da compra.

Aliás, em relação ao valor da compra, estipule sempre um orçamento para que não tenha surpresas no caixa.

Mantendo uma listinha será mais fácil até comparar supermercados e outras opções, como hortifrutis, que tenham preço mais em conta para sua cesta de alimentos. Com isso tudo você certamente ainda irá comer de forma mais saudável e evitar desperdícios!

4. Dê uma pausa em comer fora e pedir comida

Sim, continuamos no assunto alimentação! Mas essa parte merece um item específico entre nossas dicas.

Mesmo tendo organizado suas compras do supermercado e o cardápio de sua casa, as idas a restaurantes para jantares e almoços podem passar despercebidas. Elas, porém, podem impactar – e muito – no orçamento. 

Portanto, é preciso atenção também nesse ponto! Caso trabalhe fora de casa, inclua naquele cardápio do item anterior a comida para levar para almoçar no trabalho. A economia é diária e relevante!

Diminua as saídas a noite para Happy hour e jantar. Se você faz isso 1 vez por semana e gasta por vez no mínimo 100,00 reais, então, já estamos falando de 400,00 reais por mês! 

E aquele aplicativo para pedir comida? Claro que cozinhar em casa é muito mais barato do que pedir comida 2 a 3 vezes na semana.

Não precisa parar de comer algo diferente às vezes, mas diminua a quantidade. Você verá uma diferença sensível, já que um jantar pedido no aplicativo para um casal pode passar de 100,00 reais, não é mesmo?

5. Pare com as compras pela internet

Todas aquelas notificações que recebemos dos sites e aplicativos de compra, com cupons de desconto, ofertas imperdíveis, são um grande apelo para adquirirmos algo que, na maioria das vezes, não precisamos.

A facilidade da compra faz com que o impulso rapidamente se reverta em gasto. Do sofá de casa podemos colocar o número do cartão de crédito e concluir a compra.

Uma dica de ouro: dê unscribe em lista de e-mails, desative notificações!

Comprar pela internet é um grande facilitador da vida moderna, nos ajuda a comparar preços e produtos. Porém, a oferta fácil na palma da nossa mão pode ter efeito desastroso!

Deixe para utilizar essa ferramenta quando, efetivamente, precisar de algo e utilizar a internet para buscar. E não se deixar levar por suas ofertas!

6. Repense sobre ter um automóvel

Você já parou para pensar se realmente é necessário ter um automóvel? Ou, às vezes, dois? Ou três?

Como sabemos, os aplicativos de transporte já estão com a atuação consolidada e são uma alternativa barata e eficaz na nossa locomoção (sem falar na alternativa de renda que são para tantas pessoas!)

Ter um carro gera um custo alto, como o IPVA, licenciamento, seguro, revisão, gasolina, custo de estacionamento. Sem contar com o trânsito estressante e a dificuldade de encontrar um estacionamento.

Algum tempo atrás, era impensável viver sem um carro. Hoje, já é uma realidade, principalmente nos grandes centros urbanos. Por isso, repense!

Lembrando que nesse item ainda nem consideramos se esse automóvel foi adquirido com financiamento. Porque, nesse caso, o custo aumentaria, e muito!

7. Não pague juros pelo dinheiro

Muitas vezes gastamos dinheiro com pagamentos de juros desnecessariamente. Seja perdendo a data de vencimento de uma conta ou utilizando uma linha de crédito por puro descuido, o dinheiro acaba indo pelo ralo, como se diz por aí.

Ora, no mundo digital que vivemos não dá mais para não colocar as despesas fixas mensais em débito automático – o que pode ser programado pelo aplicativo do banco. Ou, ainda, agendar pagamentos ou colocar lembretes no calendário. Não há desculpas para esta desorganização financeira!

Para facilitar ainda mais, concentre os dias de vencimento de contas, cartões, em datas próximas às datas que você tenha recebimentos. Assim, você evita, por exemplo, o uso do limite especial de conta corrente.

8. Poupe um valor mensalmente

Se você já é superavitário e tem uma sobra de renda todo mês, parabéns! E caso ainda não tenha, coloque as dicas acima em prática que, com certeza, passará a ter!

Com esse valor mensal que lhe sobrará, escolha algum tipo de aplicação para você investir todo mês e já começar a formar sua reserva financeira. Aos poucos você conseguirá não apenas economizar dinheiro, mas também acumular muito mais patrimônio do que você jamais pensou em ter! Pense nisso! 

Agora que você já descobriu como economizar dinheiro, que tal aprender a investir? Leia sobre os principais tipos de investimento disponíveis!

A pontuação dos nossos leitores
[Total: 5 Média: 5]