Os investidores que buscam obter rendimentos na bolsa de valores a partir de operações no mercado podem também optar por operar no mercado futuro. Nele, é possível negociar os chamados contratos futuros e mini contratos. 

É muito comum, entretanto, que os investidores – sobretudo os iniciantes – tenham dúvidas sobre este mercado. Afinal, o que são e quais as diferenças entre contratos futuros e mini contratos?

Acompanhe nosso artigo para saber tudo o que precisa sobre esses elementos do mercado futuro e avaliar, com mais propriedade, suas opções de investimento no mercado. Vamos lá?

O que é o Mercado Futuro?

Antes de abordar as diferenças entre contratos futuros e mini contratos, é preciso falar sobre o mercado do qual essas modalidades fazem parte: o mercado futuro. A principal característica dele é ser um espaço no qual os investidores negociam a compra e venda de contratos de ativos que não serão liquidados no presente.

Entre os principais produtos financeiros desse mercado estão os contratos de índice futuro, o dólar futuro e as commodities (como o boi, milho ou café). Assim como no mercado de ações, os preços desses contratos dependem das relações entre oferta e demanda e as negociações são feitas no home broker ou na mesa de operações.

O funcionamento do mercado futuro é bem semelhante às ações na bolsa de valores. Ou seja, a obtenção de ganhos se dá na valorização do preço dos contratos – e, consequentemente, dos ativos aos quais eles estão ligados. 

É possível manter sua posição até o vencimento combinado ou realizar compras e vendas de acordo com o que parecer mais vantajoso – a fim de evitar as perdas e aumentar o lucro.

A principal característica do mercado futuro é o fato de que o investidor não precisa desembolsar todo o dinheiro das operações. É possível negociar sua posição arcando apenas com as oscilações do preço. 

Isto é, pagando as eventuais perdas ou recebendo os rendimentos da valorização. Essa alavancagem, se utilizada com cautela, pode ser bastante vantajosa.

O que são contratos futuros?

Dentro do mercado futuro existem dois contratos principais para operações – conhecidos como derivativos: os contratos futuros e os mini contratos. Esse primeiro tipo também pode ser chamado de contrato cheio ou padrão. Como o nome indica, ele é a negociação padrão nesse mercado. 

Os contratos futuros funcionam como abordamos no item anterior – a partir da negociação de compra e venda entre dois investidores, baseados no preço futuro de um ativo. 

Dessa maneira, a lógica para obtenção de rendimentos é a mesma do mercado de ações. Ou seja, comprar um contrato por um valor mais baixo e vender com lucro. 

Vamos supor, por exemplo, que um investidor negocia a cotação do dólar futuro. À medida que o valor do dólar sobe, essa pessoa obtém a valorização de seu contrato e ganha dinheiro, podendo manter a posição até a data combinada ou vender antes para aproveitar os rendimentos atuais. 

Como dissemos, as operações no mercado futuro não exigem o desembolso do dinheiro no momento da compra dos ativos. O investidor pode fazer alavancagem, garantindo apenas a margem de garantia exigida (dinheiro que pode estar investido em outras aplicações, como tesouro direto ou mesmo ações da bolsa de valores). 

Uma característica importante na negociação de contratos futuros é a data correspondente ao vencimento do contrato. Nesse sentido, podem existir diversos contratos relacionados a um índice, moeda ou commodity futura, a depender da data. 

Essa informação é expressa na sigla do contrato. Os dois dígitos se referem ao ano de vencimento e a letra final corresponde ao mês, segundo a tabela abaixo:

MêsCódigo
JaneiroF
FevereiroG
MarçoH
AbrilJ
MaioK
JunhoM
JulhoN
AgostoQ
SetembroU
OutubroV
NovembroX
DezembroZ

O que são mini contratos?

Agora que você já sabe como funcionam os contratos padrões no mercado futuro, pode conhecer a alternativa mais utilizada pelos pequenos investidores: os mini contratos. Eles têm o mesmo funcionamento que explicamos antes, exceto pelo valor correspondente ao investimento.

Os mini contratos correspondem a 20% dos contratos futuros. Além disso, o lote mínimo nesse investimento também é menor do que os que são negociados na opção anterior. 

Considerando esses valores mais baixos, a margem de garantia dos mini contratos é acessível para pequenos investidores. Por conta desta característica, eles possibilitam que mais pessoas tenham acesso ao mercado futuro. Esse, inclusive, foi o objetivo da BM&F Bovespa ao criar essa alternativa, em 2001. 

Os tipos de investimento disponíveis nessa modalidade de contrato no mercado futuro são: mini contratos de índice e de dólar futuro.

Qual é a diferença entre contratos futuros e mini contratos?

Como você pode ver, os contratos futuros e mini contratos são dois contratos derivativos disponíveis no mercado futuro. O funcionamento deles é basicamente o mesmo, sendo que a principal diferença está relacionada ao volume de investimento mínimo feito. 

Em geral, as operações em contratos futuros partem de um lote mínimo de 5 contratos do ativo escolhido. Isso pode impossibilitar o investimento para muitas pessoas, pois até mesmo a margem de garantia fica alta nessas condições. 

Já nos mini contratos, a negociação do contrato se dá a partir de 20% do valor do contrato cheio e o lote mínimo é de apenas um mini contrato. Logo, eles são bem mais acessíveis para pequenos investidores que queiram obter rendimentos operando no mercado futuro.

Vantagens e riscos

Operar contratos futuros e mini contratos pode ser uma escolha muito interessante para quem busca obter maiores lucros. Principalmente considerando as possibilidades de alavancagem, já que essas opções permitem operar com valor muito maior do que aquele que você, de fato, possui. 

Além disso, outra vantagem do investimento no mercado futuro é o aproveitamento de ativos de alta liquidez – como o índice Ibovespa e o dólar. Essa característica torna as operações mais dinâmicas e oferece maior facilidade para o investidor realizar suas compras e vendas.

Entretanto, é importante ressaltar que, ao operar no mercado futuro, o investidor estará assumindo maiores riscos. Afinal, assim como a alavancagem pode impulsionar os ganhos, ela também pode ampliar as perdas.

Por isso, é fundamental que o investidor tenha conhecimento deste mercado antes de fazer suas operações. Com o devido preparo, ficará muito mais fácil obter bons resultados em suas operações em contratos futuros e mini contratos.

Conclusão

Os contratos futuros e mini contratos são duas modalidades derivativas disponíveis para operações no mercado futuro.  Geralmente, quem negocia contratos futuros padrões são os grandes investidores, produtores e empresas. Afinal, o valor investido é alto. 

Enquanto isso, investidores que desejam conhecer esse mercado e aproveitar as oportunidades disponíveis no ambiente do mercado futuro e não dispõem de um capital tão alto para operações costumam optar pelos mini contratos.

Se bem conhecido e explorado corretamente, o mercado futuro pode oferecer inúmeras oportunidades aos investidores. E os contratos futuros e mini contratos são os grandes protagonistas neste cenário.

Contudo, é importante reforçar, mais uma vez, que esses investimentos envolvem riscos maiores. Por isso, o investidor precisa estar bem informado e conhecer em detalhes o funcionamento do mercado, suas características, vantagens e riscos – como você fez no artigo de hoje.

Agora que você já conhece detalhes sobre contratos futuros e mini contratos, está mais preparado para avaliar as oportunidades desse mercado e buscar bons rendimentos. 

Quer seguir aprendendo sobre o assunto? Então assine a newsletter do site para acompanhar mais publicações!

A pontuação dos nossos leitores
[Total: 4 Média: 5]