Se você por acaso está estudando sobre investimentos ou deseja algumas alternativas de diversificação na hora de investir com certeza já ouviu falar sobre debêntures.

Mas se não sabe o que é debênture e nem como funciona, fique tranquilo.

Neste artigo você entenderá tudo sobre debêntures e como este investimento pode lhe dar segurança e rentabilidade.

O que você irá aprender neste artigo:

O QUE SÃO DEBÊNTURES

As debêntures hoje são consideradas renda fixa, se enquadrando junto com ativos de renda fixa como CDB, LCA, LCI ou LC.

Porém não se engane, apesar de ser enquadrada como renda fixa, ela possui um nível de risco diferenciado em comparação com o títulos de de dívida de emissão bancária.

A debênture é um título de dívida privada, ou seja, as empresas escolhem emitir debêntures para captar dinheiro no mercado sem abrir novas ações, sem adquirir novos sócios e até mesmo sem diluir o patrimônio líquido da empresa.

Não é qualquer empresa que pode fazer essas emissões.

Apenas empresas de sociedade anônima com capital aberto podem emitir debêntures.

COMO FUNCIONA UMA DEBÊNTURE

De uma forma simples, funciona assim: o investidor empresta dinheiro para a empresa por meio da aquisição de títulos e recebe em troca uma remuneração de acordo com as taxas definidas na hora de aplicar.

Para as empresas, é uma forma mais barata ou mais em conta que até o próprio financiamento (exceto em comparação com o BNDES).

Essas empresas emitem debêntures para investir em algum projeto, realizar algum tipo de investimento, pagar uma dívida ou até mesmo começar um empreendimento.

Entendendo estes fatos, você, quando investe em debêntures, se torna um credor da empresa. Sim, a empresa passa a dever para você.

É bom entender isso, pois você não será um sócio, um acionista e sim um credor.

QUAIS SÃO OS TIPOS DE DEBÊNTURES

Dentre as debêntures, temos as simples e as conversíveis. Qual é a diferença?

DEBÊNTURES SIMPLES

Debêntures simples são conhecidas como não-conversíveis. São títulos que não dão direito de se converter em ações da empresa que a emitiu.

DEBÊNTURES CONVERSÍVEIS

Debêntures conversíveis são os títulos que possuem a possibilidade de se transformar em ações no futuro.

Sabendo disso, é importante que você saiba em qual modalidade está aplicando, visto que existem alguns detalhes na hora da aplicação.

Para isso, você precisa entender melhor a diferença entre as debêntures incentivadas e as debêntures comuns.

DEBÊNTURES INCENTIVADAS

Assim como LCI e LCA, as debêntures incentivadas são isentas de imposto de renda, detalhe que torna a debênture muito mais interessante em comparação com outros ativos com o mesmo nível de risco.

Elas têm esse incentivo do governo, pois captam recursos para financiar projetos de infraestrutura no Brasil como estradas e aeroportos.

Assim, o imposto de renda que você pagaria quando investisse em uma debênture é retirado e você paga menos taxas.

DEBÊNTURES COMUNS

As debêntures comuns possuem tributação de acordo com uma tabela regressiva em relação ao tempo do investimento, ou seja, quanto mais tempo você aplicar, menos imposto terá de pagar sobre a rentabilidade acumulada.

A tributação pode ser vista nesta tabela abaixo:

Período de aplicação Tributação
 Entre 0 e 6 meses Imposto de 22,5% sobre a rentabilidade
 Entre 6 e 12 meses Imposto de 20% sobre a rentabilidade
 Entre 12 e 24 meses Imposto de 17,5% sobre a rentabilidade
 Superiores a 24 meses Imposto de 15% sobre a rentabilidade

QUAL É A RENTABILIDADE DAS DEBÊNTURES

Existem três tipos de rentabilidade com as debêntures:

  • Existe a rentabilidade pré-fixada, que é a mais fácil, visto que se você, por exemplo, se posicionar em uma debênture pré-fixada a 15%, você já saberá quanto ganhará por ano até o vencimento.
  • Existe também a debênture pós-fixada, que podem ser atreladas ao CDB, CDI e à Selic. Ou seja, se você se posicionar em uma debênture pós-fixada que irá pagar 110% do CDI, quando este for de 10% você obterá um rendimento anual de 11%.
  • E por fim, existem as debêntures híbridas, que possuem uma rentabilidade diferenciada, misturando um pouco da pré-fixada com a pós-fixada. Por exemplo, você pode obter uma debênture que lhe dará IPCA + 7%, onde os 7% é um valor pré-fixado e o IPCA é o valor variável ou pós-fixado.

QUAL É O PRAZO DE UMA DEBÊNTURE?

As debêntures são investimentos de médio e longo prazo que podem chegar até 10 anos.

Geralmente elas possuem prazo mínimo de 2 anos, mas não é regra.

Mas, com tanto tempo de investimento, você pode estar se perguntando se o seu capital vai ficar preso por tanto tempo. A resposta? Não.

Diferente do LCI, LCA e do CDB, a debênture te dá uma oportunidade ou uma janela de saída que é a cotação do mercado secundário, onde você pode vendê-la para um outro investidor.

Por exemplo, imagine que você tenha uma debênture da VALE e você precise do capital para realizar outro investimento que vai te dar mais rentabilidade.

Você pode entrar em contato com a sua corretora ou com o seu assessor de investimentos e fazer a solicitação para realizar o processo de venda.

Essa precificação será a mercado.

Será feito a cotação e vai ser verificado se vale a pena, pois sim, existe a possibilidade de uma debênture valer menos no futuro.

Um exemplo disso é se você adquiriu uma pré-fixada e o CDI disparou para cima.

QUAIS OS RISCOS?

Um dos riscos existentes é o risco de crédito, que é o risco da empresa não conseguir honrar com as suas dívidas e você acabar não recebendo no prazo estipulado ou até mesmo não recebendo, no caso da empresa quebrar.

Esse fator também afeta diretamente os preços das ações negociadas na bolsa de valores.

Um segundo risco é o risco de mercado.

Por exemplo, você pegou uma debênture pré-fixada a 10% e o CDI está com 6,89%. Você fez a aplicação em 2018 e com um prazo de 2 anos, ela encerra em 2020.

Mas, em 2019 o CDI dispara e sai de 6,89% para 20%.

Se acontece algo assim, isso impacta diretamente nos seus investimentos.

Afeta diretamente o preço do mercado secundário, o preço na cotação à mercado e impacta muito no rendimento real.

VANTAGENS

Uma das vantagens é o rendimento, que normalmente é maior que poupança (se é que podemos considerar poupança um investimento) e o Tesouro Direto.

Certas debêntures podem pagar até mais que o CDB.

Outra vantagem é a diversificação, não se concentrando demais em uma instituição financeira ou em ações.

E no caso das debêntures incentivadas, você tem a isenção do imposto de renda.

DESVANTAGENS

Uma das principais desvantagens é que não serve como garantia.

Se você trabalha com o mercado futuro ou com estratégias em opções, sabe que para operar alavancado você precisa de uma margem de garantia.

Outra desvantagem que podemos considerar é a liquidez, que necessita de uma cotação e de uma avaliação para ver se vale ou não a pena fazer essa liquidez.

E um outro ponto negativo é que ela não possui o FGC (Fundo Garantidor de Crédito).

Caso você faça questão de ter, esse tipo de investimento pode não ser para você.

COMO INVESTIR EM DEBÊNTURES

De forma simples, você precisa se cadastrar em uma corretora de valores mobiliários e pode solicitar ajuda para um assessor de investimentos para encontrar a melhor debênture para você.

Esperamos que tenha gostado deste artigo, se ficou alguma dúvida, deixe seu comentário para que possamos te ajudar a entender melhor.

A pontuação dos nossos leitores
[Total: 0 Média: 0]