Você já ouviu falar sobre Delta Hedge?

Uma ferramenta bastante utilizada por quem realiza operações com opções e derivativos, o Delta Hedge pode fazer uma grande diferença no dia a dia do investidor que busca rentabilizar sua carteira e manter seus ganhos ao longo do tempo.

Isso porque, graças ao Delta Hedge, investidores e operadores podem fazer alterações ou ajustes em uma operação denominada Borboleta – permitindo que obtenham rentabilidade consistente e pouca exposição ao risco.

Mas, como funciona esta ferramenta e o processo de construção da estratégia Borboleta?

De que maneira, afinal de contas, é possível utilizar o Delta Hedge em favor das suas operações?

O artigo de hoje tem como objetivo responder a estas perguntas e apresentar a você mais uma maneira de obter ganhos sólidos no mercado de opções e derivativos ao longo dos meses.

Quer saber mais? Então continue a leitura do texto!

O que você irá aprender neste artigo:

O que é Delta Hedge?

Delta Hedge é uma ferramenta disponível para o investidor ou trader que atua no mercado de opções e derivativos, permitindo a realização de alterações e ajustes em uma operação já iniciada quando esta mesma operação não está caminhando de acordo com o esperado.

A operação, neste caso, é chamada de “Borboleta”.

Já falamos sobre a operação “Borboleta” de compra de vol em um artigo aqui no Blog.

Se você quiser saber como ela funciona, basta clicar aqui. 

Hoje, no entanto, vamos falar sobre a operação “Borboleta” de venda de vol.

Para entender o funcionamento e o papel do Delta Hedge de maneira mais clara, portanto, é preciso compreender, primeiramente, o que é a operação borboleta de venda de vol – com a qual você ganha dinheiro na inércia do mercado ou em um cenário de pouquíssima movimentação em um prazo de 20 a 30 dias.

Na prática, esta operação forma uma espécie de guarda-chuva, com a zona de lucro localizada no centro da operação.

Nas laterais da operação ficam as zonas de possível prejuízo.

Porém, você verá que, pelo gráfico, é possível realizar diversas alterações durante o período da operação – permitindo que a estratégia entre nos eixos novamente e colocando você novamente em uma zona de lucro mesmo que o mercado se movimente demais, seja para cima ou para baixo.

Como funciona uma venda de volatilidade (venda de vol.)?

Para que fique mais claro o que é e como funciona a operação Borboleta de venda de vol, é importante que o investidor saiba como funciona uma venda de vol – ou seja, uma venda de volatilidade.

Explicamos: você vende volatilidade – venda de vol – quando espera que o mercado não se movimente tão fortemente, para cima ou para baixo, durante um determinado período de tempo.

Nesta operação, dependendo do ativo, da taxa de juros e da volatilidade de mercado, o range (faixa de volatilidade) oferecido ao investidor pode chegar a 20%, sendo 10% para cima e 10% para baixo – permitindo assim que haja uma movimentação de preços dentro desta faixa sem que a operação deixe sua zona de lucro.

Neste caso, o investidor consegue travar seu prejuízo máximo na operação e não corre um risco tão alto mesmo estando exposto ao possível cisne negro – que são acontecimentos inesperados que, quando ocorrem, tendem a impactar os investimentos, positiva ou negativamente.

Este risco é mais baixo neste tipo de operação justamente porque o investidor pode inserir um limitador para proteção da sua posição.

Como montar uma Borboleta de venda de vol?

Imagine que você deseja montar uma operação com ações de Petrobras (PETR4), com o ativo a um determinado valor, considerando também a taxa de juros do momento.

Nesta operação, você deverá executar 4 ordens na entrada da operação:

  • Comprar ação de PETR4;
  • Vender uma call;
  • Comprar uma call;
  • Comprar uma put.

Em seguida, você define os strikes – ou preço de exercício, que é o valor pelo qual a ação-objeto será negociada no ato de exercício de um contrato de opção – e o exercício em si, que é o prazo da operação (por exemplo, para um mês).

Com as configurações montadas, você terá sua operação pronta e o lucro possível sobre o capital investido.

Vale ressaltar que o ideal é trabalhar, neste caso, com o lote padrão de ações – no caso de PETR4, 1.000 ações.

É possível montar a operação com um lote menor, mas o investidor deve ter em mente que ficará bastante difícil zerar o Delta de uma operação com uma quantidade menor de papéis.

Confira o desenho da operação:

Note que o seu lucro está no miolo da operação, com um espaço (Range) para o papel movimentar-se durante o período da operação e manter-se em uma zona de lucro – que pode ser maior ou menor.

Se o mercado se movimentar demais, o lucro tende a diminuir.

Enquanto isso, no entanto, é possível equalizar e fazer os ajustes – para maximizar ganhos ou minimizar os possíveis prejuízos.

Se você ainda tem dúvidas sobre como montar esta operação, procure seu assessor de investimentos.

Ele é o profissional recomendado para ajudar você a definir e colocar em prática suas estratégias de investimentos e operações – como a operação Borboleta.

E onde está o Delta Hedge?

Quando falamos de operação Borboleta de venda de vol, devemos considerar também os ajustes que podem ser realizados ao longo da operação. Estes ajustes são o Delta Hedge.

Imagine que, no desenho acima, o mercado se movimente até uma zona de prejuízo.

Neste caso, é possível fazer ajustes na estratégia com base no Delta.

Se o papel começar a subir e desenquadrar o Delta, o investidor pode, por exemplo, comprar opções que estavam vendidas – alterando o desenho e o seu Delta, ajustando a operação e mantendo o prejuízo mais distante.

Com os ajustes, a operação ficaria desta forma:

Você pode ajustar o Delta vendendo opções também – tudo de acordo com a necessidade de reajuste da sua operação, para que seu prejuízo máximo fique o mais próximo possível da zona de break even.

Mas o que é o Delta, afinal?

Se você não está familiarizado com alguns termos do mercado de opções e derivativos, talvez não entenda muito bem o significado do Delta.

Em uma definição bastante simples, o Delta de uma opção representa a mudança no preço da opção em relação à alteração no preço da ação-objeto.

Tendo esta definição em mente ficará muito mais fácil compreender a importância do Delta para qualquer operação, não é mesmo?

Conclusão

A Borboleta de venda de vol é, portanto, uma operação fácil de se ajustar e de fazer o Delta Hedge, a fim de proteger a estratégia e minimizar os riscos da operação.

Para isso, basta que a Borboleta seja montada com um ativo de boa liquidez.

Este tipo de operação ajuda o investidor a manter-se posicionado em um ativo, graças ao auxílio dos derivativos.

Não há segredos e não há grandes riscos envolvidos.

Trata-se de uma operação que pode lhe oferecer, mais que uma boa rentabilidade, uma rentabilidade consistente.

Com a operação Borboleta e o uso do Delta Hedge, portanto, é possível obter ganhos consistentes todos os meses e ao longo do tempo – no mesmo papel ou em papéis distintos, mantendo a rentabilidade da sua carteira no médio e longo prazo, que é o objetivo de qualquer investidor.

E você, já utilizou esta estratégia e o Delta Hedge em suas operações?

Ainda tem dúvidas sobre o assunto? Então deixe seu comentário e compartilhe conosco suas dificuldades

A pontuação dos nossos leitores
[Total: 2 Média: 3.5]