No pregão desta terça feira (21) o Ibovespa seguiu estável, apesar do fechamento em leve queda. No acumulativo, o dia terminou com 0,11% de retração, alcançando o patamar de 104.310 pontos.

Ao contrário das principais bolsas de valores do mundo, que não apresentaram grandes novidades, mas fecharam em leve alta.

Em contrapartida, o dólar teve sua maior queda em relação às ultimas seis semanas. As expectativas em relação à eficácia de vacinas que freiem a infecção pelo novo coronavírus estimulam investidores de todo o mundo.

Em destaque, ações da Vale (VALE3) que vinham de dias de altas seguidas, apresentaram queda de 1,81% com dados de produção do segundo trimestre.

Movimentação das ações

Diante da alta do Ibovespa no dia de hoje, algumas ações acabaram ganhando destaque, como:

  • Pão de Açúcar (PCAR3) – 6,26%;
  • CVC Brasil (CVCB3) – 4,76%;
  • Ambev (ABEV3) – 3,96%%
  • Santander (SANB11) – 2,81%

Já entre as ações mais prejudicadas desta terça feira, destacam-se:

  • Qualicorp (QUAL3) – 6,41%;
  • IRB Brasil (IRBR3) – 4,48%;
  • Banco BTG Pactual (BPAC11) – 3,46%;
  • Magazine Luiza (MGLU3) – 3,10%.

Dólar

A moeda americana apontou uma queda de 2% na cotação de hoje, chegando ao patamar a R$ 5,205.

Para compra efetiva, o dólar poderia ser encontrado no mercado pelo valor de R$ 5,206.

Juros futuros

Enquanto isso, no mercado de juros futuros tivemos a seguinte cotação:

  • DI para janeiro de 2022: ganho de oito pontos base, marcando 3,00%;
  • DI para janeiro de 2023: ganho de sete pontos base, marcando 4,08%;
  • DI para janeiro de 2025: aumento de cinco pontos base, marcando 5,55%.
A pontuação dos nossos leitores
[Total: 14 Média: 5]