Nesta quinta feira, o Ibovespa apresentou os resultados semestrais e computou uma queda de 17,8% em um semestre marcado pelo caos provocado pelo novo coronavírus, resultando em seis circuit breakers na B3, a maior quantidade já registrada em um único ano. 

A queda semestral do benchmark também precisa ser comentada. Acabou sendo o maior desde o segundo semestre de 2015, quando a queda da B3 teve prejuízo de 18,3%.

Porém, o fechamento do dia, mesmo com muitas oscilações, acabou fechando em baixa de 0,71%, com 95.05 pontos. 

Movimentação das ações

Diante da alta do Ibovespa no dia de hoje, algumas ações acabaram ganhando destaque, como:

  • Tovs (TOTS3) – 3,26%
  • TIM (TIMP3) – 3,12%
  • Gerdau Met (GOAU4) – 2,81%

Já entre as ações mais prejudicadas desta terça feira, destacam-se:

  • IRB Brasil (IRBR3) – 11,71%
  • Embraer (EMBR3) – 3,91%
  • Itaú Unibanco (ITUB4) – 3,88%

Dólar

Falando sobre o dólar, o aumento semestrado da moeda americana foi o de 36%, um dos maiores registrados na história recente do país. 

Inclusive, alguns economistas acreditam que a moeda não deva sair do patamar de R$ 5 até o final do ano.

Sobre o dia de hoje, o aumento foi o de 0,27%, chegando ao patamar de R$ 5,4387 para compra e R$ 5,44 na vena.

Juros futuros

Enquanto isso, no mercado de juros futuros tivemos a seguinte cotação:

  • DI para janeiro de 2022: queda de um ponto base, marcando 2,92%;
  • DI para janeiro de 2023: queda de três pontos base, marcando 4,02%;
  • DI para janeiro de 2025: queda de seis pontos base, marcando 5,68%.
A pontuação dos nossos leitores
[Total: 9 Média: 5]