Nas últimas semanas nós iniciamos uma série de artigos falando um pouco mais sobre as várias estratégias que existem no mercado de derivativos ou mercado de opções. Falamos sobre travas de alta, travas de baixa e hoje vamos falar sobre uma estratégia chamada de lançamento coberto ou financiamento.

Se você não sabe ainda o que são opções, convidamos você a assistir gratuitamente nosso curso de opções para descobrir como funciona o mercado de derivativos e suas vantagens.

Agora se você já sabe, vamos descobrir como funciona essa estratégia.

O que você irá aprender neste artigo:

O que é o lançamento coberto ou financiamento?

Lançamento coberto ou financiamento é uma operação muito simples.

Ela é uma operação que protege seu capital de forma parcial comprando ações no mercado à vista e vendendo opções de compra com strike acima do preço.

Esse é um exemplo visual de como funciona a operação.

Como funciona o lançamento coberto ou financiamento?

Você basicamente vai executar uma entrada em ações de uma determinada empresa (pode ser lote padrão de 100, 500, 1000 ações) e logo em seguida ou imediatamente vai executar a venda de opções que podem ser dentro do dinheiro, no dinheiro ou fora do dinheiro.

Você vai escolher em qual dessas três opções você deseja. Tudo dependerá da tendência.

Não sabe o que é dentro do dinheiro (in the money, ITM), no dinheiro (at the money, ATM) e fora do dinheiro (out of the money, OTM)? Descreveremos abaixo:

Operações em opções podem ser no dinheiro (ATM)dentro do dinheiro (ITM) e fora do dinheiro (OTM). 

Isso nada mais é do que probabilidade da operação com opções dar certo.

As que estão fora do dinheiro proporcionam lucro maior, porém, por consequência, uma probabilidade menor.

E as que estão mais dentro do dinheiro são as que têm a probabilidade maior de acontecer, mas possuem um lucro menor, se comparado com a as que estão fora do dinheiro.

Lembrando também que você não pode comprar as ações hoje e vender as opções amanhã, isso acaba descaracterizando o lançamento coberto e você corre riscos desnecessários.

Por exemplo, imagine que você realizou a compra de 100 ações por R$15,30 cada.

  • 100 x 15,30 = R$1.530,00

Você venderá a mesma quantidade de opções de compra. Digamos que esteja R$0,25.

  • 100 x 0,25 = R$25,00

Como você receberá esse valor, o custo da operação fica R$1.530,00 menos os R$25,00, ficando R$1.505,00 (lembrando que se você já tem as ações, isso não se torna realmente um custo).

Se dividirmos por 100, vemos o preço médio da compra: R$15,05. Isso significa que o financiamento diminui o preço médio de cada compra.

Em que cenários podemos usar lançamento coberto ou financiamento?

Lançamento coberto ou financiamento são indicadas em qualquer cenário: tanto de alta, de baixa e principalmente em que o mercado esteja lateralizado.

Se o mercado estiver em alta, você faz um lançamento coberto, mesmo que seja fora do dinheiro, para proporcionar determinada proteção caso você esteja errado.

Você irá aproveitar o movimento até aquela linha do gráfico (no ponto A da imagem) e tem uma proteção de 2% à 5% (dependendo o prazo e do strike consegue-se até 10% de proteção).

Isso ajuda você a se proteger de movimentos inesperados.

Exemplos

Por exemplo, imagine que você montou a operação e tem 5% de proteção.

Caso ocorra um gap de 6%, você não leva 6% de prejuízo e sim 1%, pois você foi protegido com os outros 5%.

Agora imagine o cenário em que ações estão lateralizadas.

No caso das ações, se passam 6 meses e elas não saem dos R$15,00, por exemplo.

Se você vender elas acaba não perdendo nada na operação.

Mas, no caso das opções as coisas são um pouco diferentes.

Se você vendeu as opções com strike a R$15,00 com vencimento no período dos 6 meses e recebeu o prêmio de R$3,00 por essa opção, se o tempo for passando e essas ações não saírem dos R$15,00, as opções ligadas às ações vão perder valor conforme o tempo.

Muito provável que essas opções venham a valer R$0,00 ou até R$0,03 se as ações não tiverem movimentado para cima. No caso no exemplo, uma opção do tipo call.

Esse exemplo ajuda ajuda você a entender que com o passar do tempo, a posição vendida em opções vai ser positiva para você, pois você irá ganhar o que chamamos de theta., a grega tempo, que influencia o prêmio das opções.

Essa é a fonte da lucratividade da operação.

Mas, e no caso em que o cenário é de baixa?

É bem provável que você não faça lançamento coberto ou financiamento, mas existe um motivo para listarmos esse cenário aqui.

Se você já carrega um ativo há meses, semanas, ou dias e foi pego de surpresa por um movimento de queda como pivô ou gap, não atingiu o seu stop loss ainda e você ainda acredita que o ativo pode subir, você pode fazer um lançamento coberto, vendendo opções no dinheiro, dentro do dinheiro ou fora do dinheiro e espera ela voltar.

Se o papel continuar caindo seu prejuízo será muito menor e dependendo o que acontecer, você consegue até zerar seu prejuízo se fizer os devidos ajustes e as rolagens de maneira correta.

Quem pode realizar lançamento coberto ou financiamento?

Dependendo do tipo de assessoria que você possui e do seu nível de conhecimento, seu assessor de investimentos pode montar para você.

Se você tem conhecimento, já operou no mercado de renda variável e em até mesmo opções, você mesmo pode realizar essa operação no seu home broker.

É só realizar a alocação correta da margem de garantia, visto que algumas corretoras não fazem isso de maneira automatizada.

Não são todas, são poucas. Mas é importante para evitar tomar algumas multas.

Essa é uma das operações mais fáceis para se realizar no mercado de opções.

Esperamos que tenha gostado e caso tenha alguma dúvida, pergunte para nós aqui nos comentários.

A pontuação dos nossos leitores
[Total: 0 Média: 0]