Educação Financeira

5 Indicadores fundamentalistas que todo investidor deve conhecer

Por
Voltar

Quem quer fazer uma boa análise para escolher entre investimentos de renda variável precisa conhecer os indicadores fundamentalistas. Eles são bases de informação sobre os ativos e devem ser utilizados pelos investidores.

Considerá-los ajuda você a escolher seus ativos de longo prazo, ponderando seus objetivos e expectativas. A finalidade é identificar quais empresas listadas na bolsa de valores condizem com o seu perfil e podem ser boas opções para o seu portfólio.

Quer saber mais? Neste conteúdo, você verá o que é uma análise fundamentalista e conhecerá 5 dos principais indicadores. Confira para entender melhor como eles funcionam!



Siga nossa página no Instagram e fique por dentro de todos os nossos conteúdos! 



O que é uma análise fundamentalista?

Quem atua na bolsa de valores costuma utilizar duas formas de análise dos ativos: a técnica e a fundamentalista. A primeira delas verifica as variações no preço do próprio ativo, sendo utilizada, principalmente, para operações de curto prazo (especulação).

A análise fundamentalista tem outra finalidade. Ela foca em investimentos de longo prazo, analisando, principalmente, os fundamentos das empresas ou mesmo alguns fundos. Assim, o investidor tem uma base para determinar como os ativos se comportarão durante o período.

A saúde financeira, organização societária, obtenção lucros nos últimos anos e balanço patrimonial são exemplos de fatores considerados na análise. A ideia é determinar se a companhia, por exemplo, apresenta solidez e boas perspectivas de resultados futuros.

Quando utilizar os indicadores fundamentalistas?

Como você viu, os indicadores fundamentalistas são métricas utilizadas para fazer a análise de longo prazo. Existem diversos deles e cada um verifica certos pontos das companhias.

Assim, aplicando o conceito é possível até mesmo comparar empresas diferentes. O ideal é utilizar diversos indicadores ao mesmo tempo para fazer análises completas. Como eles criam proporções em relação a fatores específicos das empresas, em conjunto tornam-se uma base de dados.

Para definir quais utilizar, contudo, é preciso conhecer uma grande variedade deles. Depois, o investidor deve definir seus objetivos com o investimento. Somente assim ele conseguirá identificar quais são as informações relevantes para a sua análise.

Ao aplicar os indicadores fundamentalistas às suas opções de investimento, você conseguirá avaliar números e decidir. Essa atitude dá uma ideia mais concreta do comportamento da empresa e seus possíveis resultados no longo prazo.



Quer investir com a ajuda de um especialista? Receba o auxílio gratuito de um assessor de investimentos



Quais os 5 indicadores que todo investidor deve conhecer?

Sabendo o que é a análise fundamentalista e quando utilizar seus indicadores, é preciso conhecê-los, correto? A seguir você entenderá como funcionam 5 indicadores que não podem faltar nas suas análises.

Acompanhe!

1. Balanço Patrimonial

O balanço patrimonial é divulgado pelas empresas, geralmente de forma anual. Ele é um documento fundamental para os investidores, pois demonstra fatores financeiros importantes da companhia.

Ele traz um diagnóstico completo da situação do negócio. No balanço estarão representados os ativos (bens e direitos da empresa) e os passivos (dívidas ainda não pagas). Com isso, os investidores conhecerão o Patrimônio Líquido (PL) da sociedade.

O Patrimônio Líquido é outro indicador relevante. Ele é calculado conforme a diferença entre os ativos e passivos. O número é essencial porque indica a situação financeira do negócio. Assim, se for positivo, as reservas são maiores que as dívidas.

2. P/VPA

P/VPA significa Preço sobre Valor Patrimonial por Ação. Assim, para obter o resultado desse indicador é preciso dividir a cotação do papel pelo seu valor patrimonial. Para entender o resultado você deve conhecer alguns conceitos.

O VPA, ou Valor Patrimonial por Ação, é a relação entre o Patrimônio Líquido da empresa e o número de Ações emitidas. O PL você já aprendeu no tópico anterior. Para chegar nele é preciso verificar o balanço patrimonial.

Analisando o P/VPA, o investidor saberá se a Ação está valorizada em relação ao que representa do capital da empresa. Por isso é fundamental utilizá-lo para determinar suas oportunidades ao investir nos papéis.

3. P/L

Outro exemplo válido é o P/L. A sigla significa Preço sobre Lucro. Ele é muito utilizado quando se faz a comparação entre papéis de empresas do mesmo setor. Com ele, o investidor saberá a relação entre o preço pago pela Ação e o lucro projetado para o papel.

Assim, é um indicador da análise fundamentalista que não foca propriamente nas características da empresa. O objetivo é verificar se a cotação da Ação na bolsa está compatível com a expectativa de rendimentos.

Ao compará-lo com o P/L de outras empresas, o investidor saberá se determinado papel está sub ou sobrevalorizado, por exemplo.

4. Dividend Yield

O Dividend Yield é um indicador focado na análise dos dividendos. Assim, quem busca conseguir uma renda passiva com os investimentos na bolsa precisa aplicá-lo em suas análises.

O objetivo é demonstrar a relação entre os dividendos pagos pelo papel e o preço de cada Ação adquirida. Com isso, será possível avaliar a renda recebida com o ativo e definir se, percentualmente, ela é vantajosa.

Para isso, o cálculo é simples: basta dividir o valor do dividendo pago pela cotação atual da Ação. Essa conta pode ser feita em diferentes períodos, para que o investidor saiba como o papel se comportou.

Aqui também é possível compará-lo com outras opções. Mas, para ter informações confiáveis, o ideal é utilizar companhias de um mesmo setor e de porte semelhantes.

5. Dividend Payout

O Dividend Payout costuma ser confundido com o Yield, mas há diferenças importantes entre eles. Ele também é utilizado para as análises de como as empresas dividem parte dos seus lucros com os acionistas. Contudo, não compara os números com o preço do papel.

O que se analisa com esse indicador é a política de divisão de lucros da empresa. Ao utilizá-lo, o investidor saberá qual é o percentual que indica a proporção de ganhos pagos aos acionistas. Imagine que a companhia divulga que adota uma política de Payout de 30%.

Isso significa dizer que 30% dos lucros obtidos durante o período será dividido entre os detentores das Ações. O percentual varia de acordo com cada empresa, então é preciso comparar o Payout com outros números importantes.

Geralmente, empresas maiores e mais estabilizadas têm um Payout maior, pois não necessitam de tantos investimentos no próprio negócio.

Agora você já conhece 5 indicadores fundamentalistas que não podem faltar nas suas análises. Eles são usados para investimentos em renda variável de longo prazo e podem facilitar suas escolhas. Lembre-se de sempre se manter informado sobre o assunto!

Quer continuar aprendendo sobre o tema? Então confira nosso conteúdo sobre análise técnica x fundamentalista!



Dúvidas sobre o assunto? Se inscreva no canal Luis Outi - Investidor Independente e fique por dentro dos assuntos mais comentados




Calculadora de IR