Notícias

Em dia de feriado nos EUA, Ibovespa fecha próximo a estabilidade

Por
Voltar

Motivados pela reunião do Federal Reserve e dos dados econômicos norte-americanos apresentados, os acionários asiáticos majoritariamente fecham em alta nesta quinta (26/11).

Por lá, o que se viu foi o avanço de papéis relacionados ao consumo, tecnologia, telecomunicações e eletrodomésticos que alcançaram melhor desempenho.

No Japão, as contaminações por Covid-19 saltaram e as autoridades locais adotaram medidas restritivas a bares e restaurantes.

Desse modo, encerram os pregões orientais: Xangai Composto (China) +0,33% a 3.369,73 pontos, Shenzhen Composto (China) +0,18 % a 4.919,59 pontos, Kospi (Seul) +0,94% a 2.625,91 pontos e Nikkei (Japão) +0,91% a 26.537,31 pontos, Taiex (Taiwan) +0,78%, a 13.845,66 e Hang Seng (Hong Kong) +0,56% a 26.819,45 pontos.

Contudo, o feriado ianque de Ações de Graças afetou os demais pregões mundiais, pois houve a redução no fluxo e na liquidez das transações efetuadas.

Por isso, na zona do euro, as bolsas alternaram entre resultados estáveis ou em leve queda.

A ampliação do lockdown alemão, que agora irá até dezembro, também desestabiliza a retomada da economia e o índice de confiança dos consumidores minguou.

No Reino Unido persiste a queda de braço para saída do bloco europeu e, ainda, não há um progresso nas negociações sobre o Brexit.

Assim, as bolsas europeias terminaram o dia: FTSE 100 (Londres) -0,44% em 6.362,93 pontos, CAC 40 (Paris) -0,081% a 5.566,79 pontos, FTSE MIB (Itália) -0,46% a 22.201,44 pontos, DAX (Alemanha): -0,024% a 13.286,57 pontos, IBEX 35 (Madri) -0,74% a 8.104,60 pontos e PSI 20 (Lisboa) -0,46% a 4.607,25 pontos.

Já nos EUA, a explosão de novos casos de Covid-19 e o aumento das restrições comerciais elevam as dispensas e prejudica o mercado de trabalho. Nesse sentido, os pedidos de seguro-desemprego eclodiram.

Essa notícia afetou o dólar no mercado de futuros que operou em queda. Caso o quadro não seja revertido, a tendência é que a moeda norte-americana acumule perdas internacionalmente.



Baixe gratuitamente o nosso simulador de investimentos



Ibovespa

A operação do Ibovespa de hoje foi afetada pelo recesso de Wall Street. Dessa forma, o índice da Bolsa de Valores brasileira finaliza o pregão com leve valorização de 0,09% a 110.227 pontos.

Maiores altas:

• Suzano Papel (SUZB3) – 5,44%

• Usiminas (USIM5) – 4,42%

• CSN (CSNA3) – 4,40%

• Cogna (COGN3) – 4,10%

Maiores baixas:

• Notre Dame Part (GNDI3) – 2,83%

• Pão de Açúcar (PCAR3) – 2,30%

• Telefônica Brasil (VIVT4) – 2,26%

• Itaú Unibanco (ITUB4) – 2,08%

Dólar

A moeda americana ganha força +0,28% fechando cotada a R$ 5,34.

Cenário Doméstico

Por aqui, investidores permanecem atentos e irritados com o desenrolar fiscal-orçamentário e as declarações dadas pela equipe econômica do governo.

O desconforto está na ausência de atitudes e iniciativas em rumar às soluções que deem ânimo ao mercado, como, por exemplo, as reformas.

Nas palavras de Joaquim Kokudai, gestor da JPP Capital e Somma Investimentos. “Todos concordam com a agenda do Guedes, mas as coisas não estão andando na velocidade esperada. Não é só privatização, mas reformas também. O mercado já vinha criticando essa demora. Mas essa justificativa do timing político não agrada e gera mais incômodo. Tem alguns ajustes que, se o Executivo não encabeçar, não andam mesmo”, afirma o profissional.



Quer investir com a ajuda de um especialista? Receba o auxílio gratuito de um assessor de investimentos



Banner Palhano Investimentos