Educação Financeira

Gestão de carteira de investimentos: como fazer de forma inteligente?

Por
Voltar

Executar uma operação no mercado financeiro não é o passo final dos investimentos. Também é preciso conferir os resultados e se manter atualizado sobre as condições do seu portfólio. É para isso que existe a gestão de carteira de investimentos.

Devido aos impactos que essa etapa causa, ela pode ser o diferencial para que os investidores alcancem os resultados desejados. Logo, vale a pena entender como ela funciona e o que fazer para colocá-la em prática.

A seguir, descubra quais são os pontos principais do processo de gestão de carteira de investimentos e saiba como realizá-lo no dia a dia. Acompanhe!


Conheça nosso novo treinamento Academia de Investidores na Bolsa de Valores


O que é gestão de carteira de investimentos?

Realizar gestão, de modo geral, significa avaliar os recursos disponíveis e definir como eles devem ser usados a favor dos objetivos. Na prática, isso também pode ser realizado em relação às aplicações financeiras.

Logo, a gestão de carteira de investimentos consiste em um acompanhamento dos ativos financeiros e de seus resultados. Como o processo é executado de maneira contínua, ele permite conhecer a performance do portfólio e apoia a tomada de decisão.

Como funciona esse processo?

Para compreender o funcionamento da gestão de carteira, é fundamental entendê-la como uma etapa de diagnóstico. Por meio da avaliação dos resultados já consolidados, você poderá identificar oportunidades e fazer uma avaliação completa do que foi obtido até o momento.

Como exemplo, considere uma carteira de ações. A gestão do portfólio envolve conferir o desempenho dos papéis, acompanhar as perspectivas das empresas e verificar se os investimentos ainda fazem sentido.

O mesmo pode ser aplicado ao restante da carteira, considerando renda fixa e renda variável. Portanto, é possível aproveitar esse processo em diferentes níveis nos seus investimentos.

Qual é a importância da gestão de carteira?

Quer descobrir por que a gestão de carteira é importante? Então vale pensar nos benefícios que ela oferece. Na prática, essa é uma forma de fazer uma gestão de recursos alinhada com a sua disponibilidade e com os seus interesses.

Considerando o dinheiro de que você dispõe e o patrimônio que deseja obter, há como configurar a carteira para que ela entregue os melhores resultados possíveis.

Além disso, acompanhar os investimentos permite que você tenha visibilidade sobre a carteira e o que ela oferece. Assim, é mais fácil decidir se realmente vale a pena deixar os recursos alocados em uma alternativa ou se é melhor movê-los para uma opção mais atraente.

Outro ponto relevante é a segurança. A gestão pode ajudá-lo a manter uma configuração equilibrada e diversificada. Se uma escolha apresentar um comportamento diferente do esperado, a gestão permitirá identificar os gargalos e os pontos que exigem mais atenção.


Aprenda a operar opções com o nosso treinamento Invista em Opções


Quais os impactos de não realizar essa gestão?

Por outro lado, não fazer a gestão de carteira de investimentos pode gerar efeitos negativos. Sem esse cuidado o seu portfólio pode se tornar arriscado demais. Em outros casos, ele é subaproveitado, deixando de obter o retorno que seria possível considerando o seu perfil.

Além disso, fazer investimento de modo inteligente só é possível quando você tem embasamento para as escolhas. Então, sem esse tipo de gerenciamento, fica mais difícil saber o que ajustar ou quais caminhos seguir.

Por esse motivo, realizar a gestão pode ser um diferencial entre os investidores. No geral, quem realiza essa tarefa tende a alcançar resultados melhores e com mais consistência do que os investidores que não o fazem. Embora esse não seja o único fator de impacto, ele influencia nos resultados.

Como fazer a gestão de carteira de investimentos?

Agora que você sabe qual é a importância de gerenciar a carteira de investimento financeiro, é o momento de colocar o processo em prática. A seguir, veja quais são os pontos importantes para observar e entenda o que fazer!

Avalie a relação entre o risco da carteira e seu perfil

Antes de investir, é provável que você tenha identificado seu perfil de investidor entre conservador, moderado e arrojado. Embora essa definição da sua tolerância ao risco seja relevante, vale saber que ela não é fixa.

Conforme você aprende mais sobre o mercado ou conquista objetivos, pode ser que se torne mais tolerante aos riscos. Por outro lado, mudanças nos planos podem fazer com que seu perfil fique mais conservador. O ideal, então, é que seu portfólio acompanhe essas mudanças.

Desse modo, vale a pena identificar o perfil de risco da carteira e analisar se ele está adequado à sua tolerância atual. Dependendo da resposta e das suas necessidades, é possível tornar a carteira mais segura ou mais arrojada, por exemplo.

Veja se a carteira continua refletindo seus objetivos

Outra característica que pode mudar é o seu conjunto de objetivos. Portanto, pense no que você deseja alcançar e confira se seus investimentos ainda estão alinhados a eles.

Por exemplo, é possível que um plano já tenha sido cumprido ou que tenha sido substituído por um objetivo com um prazo um pouco maior. Em ambos os casos, será preciso repensar as escolhas de carteira para contemplar novas necessidades e preferências.

Nesse cenário, a gestão de carteira de investimentos ajudará a reconhecer o que é possível fazer para se aproximar da concretização dos seus objetivos.

Analise os investimentos em relação aos prazos

A avaliação dos objetivos deve ser acompanhada do entendimento sobre os prazos. Se você tiver concluído planos de curto e médio prazo, por exemplo, sua alocação visando horizontes mais longos pode se tornar maior.

Já se precisar realizar planos mais imediatos, pode ser interessante pensar em objetivos com maior liquidez e menor volatilidade. Essa medida também evita que a carteira seja muito focada em apenas um prazo, aumentando a diversificação.


Começando a investir? Obtenha agora um ebook grátis com 4 dicas de investimentos


Faça o rebalanceamento de carteira

A gestão de carteira de investimentos também exige a tomada de decisão de modo periódico. Isso é feito, em especial, pelo rebalanceamento de carteira. O processo consiste em comprar ou vender ativos para manter o perfil de risco alinhado em seu portfólio.

É possível rebalancear a cada semestre, a cada ano ou em outros períodos que fizerem sentido para a sua estratégia. Nesse processo, também vale verificar a diversificação de investimentos. Por meio dela, você pode diluir os riscos por evitar a concentração.

Ademais, se você for trader, é possível fazer essa gestão em relação às operações. A diferença é que o portfólio é mais dinâmico e o volume de operações tende a ser maior na hora de aplicar essa gestão.

Conforme você acompanhou, a gestão de carteira de investimentos é uma das etapas mais importantes para alcançar os resultados desejados com o seu portfólio. Com esse cuidado periódico, você poderá se destacar de outros investidores e aplicar sua estratégia de maneira contínua.

Você já realiza a gestão da sua carteira? Tem dúvidas no assunto? Conte nos comentários!


Calculadora de IR