Notícias

Ibovespa segue bolsas americanas e fecha no vermelho

Voltar

Nesta terça-feira, o Ibovespa fechou com queda de 1.19% e 100.853 pontos, indo na contramão do pregão de ontem, quando apresentou ganhos expressivos e giro financeiro de 29 bilhões.

A queda foi muito motivada pela divulgação da ata da reunião do Fomc, o Comitê Federal de Mercado Aberto norte-americano. Nela, diretores do Fed concordaram que a atual crise pesará muito nas atividades econômicas no médio prazo, afetando muito o emprego e a inflação.

No Brasil, há expectativa em relação à elaboração da proposta orçamentária para 2021, que deve ser enviada até o final desse mês. Muitos temem efeitos no teto de gastos.

Enquanto isso, governo federal estuda prorrogar o auxílio emergencial até dezembro, já na próxima semana, mas ainda não tem definido qual será o valor das parcelas.

Ações que apresentaram as maiores altas do pregão:

  • Marfrig (MRFG3) – 5,97%
  • Ultrapar (UGPA3) – 4,68%
  • JBS Friboi (JBSS3) – 3,14%

Maiores quedas:

  • Cogna (COGN3) – 5,45%
  • Sabesp (SBSP3) – 5,04%
  • IRB Brasil (IRBR3) – 4,77%

Em relação as bolsas norte-americanas, a cautela entre as relações da China com os EUA e a negociação sobre o pacote fiscal, somados ao que foi apresentado na ata da reunião do Fomc levaram os principais índices acionários a não obterem bons resultados. A Dow Jones caiu 0.31%, a S7P 500 -0,44% e a Nasdaq -0,71%.

Ao que tudo indica este cenário pode sofrer algumas mudanças nos fechamentos seguintes, principalmente considerando as perspectivas pela definição da vacina contra o COVID-19 e os índices inflacionários.

O dólar apresentou alta de 1,17%, chegando à cotação de R$5,54. Essa foi a maior alta da moeda americana em três meses.

Robô trader

Luis Outi

https://investidorindependente.com/

Amante do mercado financeiro. Trabalho no mercado financeiro desde 2008, especializado no mercado de renda variável e de derivativos, também conhecido como opções.