Educação Financeira

Imposto de Renda para traders: como declarar?

Voltar

Todo início de ano traz uma obrigação que preocupa muitos brasileiros: a declaração do Imposto de Renda. É fundamental atentar para os detalhes do IR e evitar cometer erros na hora de declarar. E um dos pontos importantes está relacionado aos investimentos.

Você sabe como declarar seus ativos da renda variável? E como funciona o Imposto de Renda para traders – caso você opere na bolsa de valores? As orientações são diferentes para operações de day trade e de swing trade, embora muita gente ainda desconheça essa informação.

Então, que tal aprender a fazer a declaração correta das suas negociações na bolsa? Confira as informações deste post e saiba como declarar seus trades no Imposto de Renda!

Como funciona o Imposto de Renda para traders?

Os traders são especuladores que realizam operações de curto prazo com ações e outros ativos na bolsa de valores. O Imposto de Renda para eles tem algumas diferenças em relação aos investidores que focam no longo prazo. 

Então acompanhe os próximos parágrafos e descubra como funciona o Imposto de Renda e a declaração de IR para cada uma das principais operações de trade na bolsa de valores.

Swing trade ou position

No caso de operações que não são realizadas no mesmo dia, os traders são isentos de IR quando movimentam pouco dinheiro. Não há imposto quando o volume de venda das ações não ultrapassa o valor de R$ 20 mil reais no mês. 

Caso a quantia seja maior, há incidência de alíquota de 15%. A taxa é calculada com base no lucro. Entretanto, fique atento: o limite de R$ 20 mil considera o total da venda, e não a diferença entre o que você comprou e vendeu. Veja um exemplo prático:

  • Se a compra de ações tiver uma soma de R$ 11 mil e a venda somar R$ 21 mil, será preciso pagar imposto. No caso, o IR será calculado em cima dos R$ 10 mil de lucro.

Quando o trader não ultrapassa o limite mínimo de venda, seus rendimentos são isentos, mas devem ser declarados. Já quando o valor for maior, é preciso emitir uma Darf para pagar o imposto mensal — isso deve ser feito até o último dia útil do mês seguinte.

Day trade

As operações de day trade, que são iniciadas e finalizadas no mesmo dia, apresentam algumas diferenças em relação ao Imposto de Renda. A principal delas é que a alíquota é maior: 20% sobre o lucro das negociações.

Além disso, deve haver declaração e pagamento do imposto independentemente do valor da venda. Isto é, todas as operações de day trade realizadas no mês precisam constar para o cálculo do Imposto de Renda — mas os prejuízos podem ser abatidos.

A cada mês, o trader deve emitir a Darf correspondente às suas atividades na bolsa de valores. O valor a pagar de imposto é calculado a partir dos valores de lucro ou perdas ao longo do mês. Claro, não há o que pagar em caso de prejuízo mensal.

Como fazer a declaração?

Como você viu, pessoas que realizam trades precisam ficar atentas às obrigações relacionadas ao Imposto de Renda. A cada mês as operações precisam ser acompanhadas para que se documente tudo, pague a taxa corretamente e possa declarar o Imposto de renda para traders com facilidade no prazo anual.

Veja como fazer isso a partir dos passos a seguir:

Organizar as informações

O primeiro passo para fazer a declaração de Imposto de Renda para traders é manter uma boa organização dos seus dados. É fundamental documentar as operações feitas a cada mês. Assim, você terá o histórico do ano para declarar corretamente.

Quem realiza operações variadas (de day trade e swing trade, por exemplo) precisa separá-las para calcular a alíquota correspondente a cada uma. Também é necessário separar por ativos — ações, opções, índices, moedas, etc.

Guardar os documentos

Suas informações devem estar organizadas com a respectiva documentação. Ou seja, as Darfs emitidas mensalmente precisam ser guardadas, assim como as notas de corretagem das operações e os extratos de imposto emitidos pela corretora ou banco de investimentos.

Tudo isso será essencial para a declaração de Imposto de Renda, já que mensalmente você realiza suas obrigações com a Receita. Logo, não deixe de guardar os documentos com cuidado para não enfrentar dificuldades.

Declarar os bens e os rendimentos isentos

O fato de não ser preciso pagar Imposto de Renda sobre algum rendimento não significa que ele não deva constar na Declaração de IR. Ao contrário, é necessário declarar todo o patrimônio e também o lucro isento.

Coloque cada informação na sua respectiva aba. Por exemplo, o que compõe seu patrimônio deve ser incluído na opção “bens e direitos”. Já as vendas de ativos abaixo do limite mínimo, assim como proventos isentos de imposto, devem ser declaradas no local correspondente.

Preencher os dados sobre renda variável

Utilizando os documentos que você guardou ao longo dos meses, basta inserir os dados na ficha de renda variável da declaração. Lembre-se de informar possíveis prejuízos que tenham acontecido, pois eles são deduzidos.

Depois, informe os lucros de cada mês nas operações. Os dados devem ser informados separadamente para cada ativo e também para cada operação — de day trade ou operação mais longa. Caso não haja operação para declarar em algum mês, coloque zero.

O que acontece se eu não declarar corretamente?

É muito importante conferir o imposto a pagar e checar se tudo foi declarado corretamente de acordo com as Darfs e com os outros documentos mensais. Ao cometer equívocos, você corre o risco de precisar pagar multa ao Leão.

Vale destacar que seus dados são compartilhados com a Receita Federal pela corretora de valores utilizada para realizar suas operações. Isso se deve à existência do chamado imposto “dedo duro”, que é retido na fonte e repassado automaticamente pela corretora para a Receita.

Funciona da seguinte forma: o imposto é recolhido sempre que há lucro. Em vendas comuns, é retido 0,005%, enquanto no day trade é retido 1% dos ganhos. Os 99% restantes é o que o investidor paga na Darf. 

Desse modo, o seu histórico de operações e lucro já é conhecido pela Receita por meio dos dados repassados pela corretora. Esse é mais um ponto de relevância para que você declare tudo corretamente. Em caso de atrasos ou erros na declaração, o trader pode cair na malha fina.

Como declarar Imposto de Renda para buy and hold?

Como você viu, a declaração do IR é diferente de acordo com as operações realizadas na bolsa. No caso de buy and hold, o intuito dos investidores é pensar no longo prazo. Então, geralmente não são realizadas muitas operações de venda durante o mês.

Assim, a declaração do imposto costuma envolver apenas as negociações de compra e os possíveis rendimentos isentos (como dividendos). No caso de recebimento de juros sobre capital próprio, é preciso pagar o imposto correspondente.

Agora você sabe como funciona o Imposto de Renda para traders e outros investidores na bolsa de valores. Lembre-se da importância de declarar todos os dados de maneira correta. Com isso, é possível evitar problemas e garantir o pagamento do valor real devido de IR – ou receber restituição.

E então, as informações que trouxemos neste post foram úteis? Quer se manter bem informado sobre investimentos e finanças? Assine a newsletter do blog!

Calculadora de IR

Luis Outi

https://investidorindependente.com/

Amante do mercado financeiro. Trabalho no mercado financeiro desde 2008, especializado no mercado de renda variável e de derivativos, também conhecido como opções.