Educação Financeira

Investimento no exterior: conheça as principais alternativas do mercado!

Por
Voltar

Você já pensou em fazer investimento no exterior? A alternativa nem sempre é pensada pelos brasileiros, tanto por desconhecimento quanto por acreditar que é direcionada apenas aos grandes investidores. Contudo, ela pode garantir oportunidades interessantes e diversos benefícios.

E existem possibilidades de investimento internacional de baixo custo. Por isso, vale a pena entender como funciona e de que maneira é possível aportar em ativos de outros países.

Pensando nisso, preparamos este conteúdo abordando as principais questões sobre o tema. Continue a leitura para conhecer os motivos para ter investimentos no exterior e como fazer isso!



Quer investir com a ajuda de um especialista? Receba o auxílio gratuito de um assessor de investimentos



Quais as vantagens de investir no exterior?

A primeira pergunta que surge quando se fala sobre o tema costuma ser: investir no exterior vale a pena? Isso depende de cada investidor, já que os impactos dos benefícios podem ser diferentes conforme o seu perfil e objetivos.

Logo, é preciso entender quais são as vantagens existentes para verificar se elas fazem sentido na composição da sua carteira. A seguir listamos as principais!

Diversificação do portfólio

Um dos conselhos recorrentes sobre investimentos é diversificar a carteira. Isso ajuda a reduzir os riscos, caso algum ativo apresente um baixo desempenho, e aumenta o potencial de rendimento. Nesse sentido, também é importante pensar na diversificação para além do Brasil.

Os investimentos internacionais proporcionam mais opções de ativos, permitindo maior variedade na composição da carteira. Além disso, dão acesso a cenários diferentes do brasileiro.

Diversificar com investimentos no exterior pode trazer vantagens como:

  • manejo de riscos;
  • proteção do patrimônio;
  • maior potencial de retorno.

Estabilidade econômica

A economia brasileira ainda é instável, o que afeta o potencial dos investimentos realizados. No entanto, existem países que contam com maior estabilidade, como os Estados Unidos. Nesse caso, as operações no exterior ajudam a balancear a carteira.

Ou seja, quando o mercado local tiver um desempenho mais baixo, a situação do outro país pode ajudar a reduzir os impactos. Assim, você pode ter resultados vantajosos em sua carteira, ainda em um contexto de instabilidade no Brasil.

Exposição a outras moedas

É bastante comum que o brasileiro tenha preocupações com as variações do câmbio, não é? O valor do Dólar, por exemplo, é notícia recorrente nos principais portais. Sem dúvidas, quando a economia brasileira tem problemas, o Real é impactado, assim como os investimentos.

As aplicações feitas no exterior permitem a realização de investimentos atrelados a moedas mais fortes, como o Dólar e o Euro. Com isso, também é possível aumentar a segurança e a estabilidade dos seus investimentos — e até lucrar na desvalorização do Real.

O que considerar para investir no exterior?

Como foi possível perceber, o investimento no exterior proporciona benefícios aos investidores. Todavia, é necessário fazer uma avaliação de todo o contexto da sua carteira para entender se a alternativa é interessante.

Para começar, faça uma análise sobre o seu perfil de investidor, para entender se você é conservador, moderado ou arrojado. Afinal, cada investimento tem seus riscos e eles devem ser avaliados na decisão — no caso do exterior, há o incremento do risco da variação do câmbio.

Depois, você deve estudar o mercado para aprender mais sobre as oportunidades do exterior e as opções de investimento. Também vale acompanhar notícias sobre a economia do país destino, para entender melhor o potencial dos investimentos.

Outro ponto trata do objetivo das suas aplicações. É com base nisso que você conseguirá avaliar os ativos disponíveis e tomar as melhores decisões. Avaliando todas essas questões, ficará mais fácil definir se essa é, realmente, uma alternativa indicada para o seu portfólio.


Como fazer investimento no exterior?

Chegou à conclusão de que quer mesmo ter investimentos internacionais? Você pode investir diretamente no exterior, abrindo conta em uma corretora de valores do país destino. Para isso, se submeter às regras de outro país e realizar o câmbio.

Para quem busca mais praticidade, os investimentos no exterior disponíveis dentro do mercado brasileiro podem ser a melhor opção. Aqui, é mais simples e acessível, oferecendo diversas alternativas por meio das corretoras e da bolsa brasileira.

Conheça as principais possibilidades!

Fundos Internacionais

Os Fundos Internacionais são alternativas interessantes para se expor ao mercado exterior. Nesse caso, eles costumam ser de Ações ou Multimercados, que fazem aportes em variados tipos de ativos.

Em geral, são Fundos de Investimento focados no exterior, cuja composição buscará oportunidades no mercado internacional. Para os investidores qualificados — aqueles profissionais certificados do mercado ou com patrimônio de, no mínimo, R$ 1 milhão investido — as opções são mais amplas.

O funcionamento é semelhante aos demais fundos do Brasil. Logo, você adquire cotas e poderá participar dos resultados de investimentos administrados por um gestor profissional.

ETF

O ETF, ou Exchange Traded Funds, também é conhecido como Fundo de Índice. Isso porque ele é um fundo de investimento cujo portfólio tem como objetivo espelhar determinado índice, que pode ser de outro país.

Um exemplo comum são os ETFs que replicam o índice S&P 500, dos Estados Unidos. Ele acompanha o desempenho das 500 empresas mais negociadas nos EUA. Para tanto, considera as negociações da NYSE e da NASDAQ, que são as duas maiores bolsas americanas.

BDR

Você sabe o que é BDR? A sigla se refere a Brazilian Depositary Receipts ou, em português, recibos depositários brasileiros. Trata-se de certificados lastreados a Ações de empresas estrangeiras, ETFs ou títulos de dívida internacionais. Eles são negociados na bolsa brasileira.

Assim, ao investir em BDRs você não faz a aplicação diretamente em um ativo, mas em certificados lastreados em ativos internacionais. Inclusive de companhias brasileiras que fizeram a abertura de capital no exterior.

COE

Por fim, mais uma opção são os Certificados de Operações Estruturadas. Mas o que é COE? São produtos compostos por ativos variados, que também podem ser estrangeiros. Além de ter investimentos de renda fixa e variável, o COE pode ser atrelados a índices, moedas, Ouro etc.

Para quem busca mais segurança, existem opções que permitem proteger o valor nominal. Ou seja, possibilitam que o investidor não corra risco de perder o montante investido, mesmo investindo em ativos arriscados. Já quem tem mais tolerância a riscos pode contar com COEs sem essa proteção.

Como foi possível perceber, existem diferentes possibilidades para fazer investimentos no exterior. Portanto, avalie as alternativas para entender se elas são vantajosas para o seu perfil e escolher as mais adequadas para o seu caso!

Quer saber mais sobre os Fundos de Investimento? Conheça os Fundos Multimercados!


Banner