Educação Financeira

O que é e como funciona um contrato a termo?

Por
Voltar

Muitas pessoas conhecem a bolsa de valores como o ambiente onde são negociadas as ações. De fato, um dos ativos mais negociados no mercado à vista são papéis de companhias brasileiras. Porém, essa não é a única forma de negociação disponível. Você já ouviu falar do contrato a termo?

Por meio desse tipo de contrato, o interessado pode negociar um ativo que ele ainda não possui, por exemplo. Além disso, ele também não precisará ter todo o dinheiro da negociação disponível no momento que o contrato for fechado.

Ficou interessado em saber como o contrato a termo funciona? Então aproveite a leitura deste conteúdo e aumente as suas possibilidades de investimento no mercado financeiro.

Vamos lá?


Aprenda a operar opções com o nosso treinamento Invista em Opções


O que é o mercado a termo?

Antes de aprender o conceito de contrato a termo, é preciso conhecer o ambiente onde acontece sua negociação: o mercado a termo. Trata-se de um ambiente da bolsa de valores onde se negocia a compra e a venda de ativos e derivativos financeiros para liquidação em data posterior.

Isso é feito por um preço determinado acrescido de uma taxa de juros — que normalmente fica próxima à taxa Selic (a taxa básica de juros). Na data de vencimento escolhida, o termo se resolve e a operação é liquidada.

Nesse momento, o comprador precisará pagar pelo preço combinado e o vendedor entregará o ativo ou derivativo objeto da negociação. Ou seja, é nesse momento que acontece a chamada liquidação física.

Quais as principais diferenças entre o mercado a termo e outros mercados?

Também é importante saber que a bolsa de valores é composta por 4 principais mercados: o mercado à vista, o mercado a termo, o mercado futuro e o mercado de opções.

Assim, ao abordar o mercado a termo, vale conhecer os outros mercados para identificar suas diferenças. Veja só:

? mercado à vista: as negociações são feitas à vista e liquidadas em poucos dias, envolvendo a liquidação física. Nele, são disponibilizadas alternativas como ações, fundos imobiliários (FIIs), fundos de índice (ETFs), BDRs etc.;

? mercado futuro: são negociados derivativos, a partir de um posicionamento, na compra ou venda, para uma data futura. Aqui, a liquidação geralmente é financeira e os preços sofrem ajustes diários. Os contratos futuros mais conhecidos são os de dólar (DOL e WDO) e de índice (IND e WIN), mas existem outros;

? mercado de opções — conta com a negociação de direitos de compra e venda de ativos financeiros em data futura. Na data de vencimento da opção, o titular do direito pode decidir se vai exercê-lo ou não. As opções mais negociadas são derivadas de ações.

O que é o contrato a termo?

O contrato a termo é um acordo entre duas partes para a compra e venda de um ativo ou derivativo financeiro em data futura, estabelecendo-se o preço no presente. Como você viu, esse preço é composto pelo montante correspondente ao objeto da negociação mais uma taxa de juros.

A parte que se propõe a fazer a compra no futuro assume uma posição comprada, enquanto o vendedor assume a posição vendida. Já o preço determinado também é chamado de preço de entrega ou delivery price.

Para que as operações no mercado a termo possam ser firmadas, é comum que seja exigida uma margem de garantia. Não se trata do custo total da operação, mas uma quantia que ofereça proteção tanto de quem vende quanto de quem compra.

É importante destacar que o contrato a termo pode ser liquidado antes da data de vencimento, desde que haja acordo entre as partes. Do mesmo modo, pode ser desfeito para a parte que abrir uma posição contrária à sua (se estiver comprado deverá abrir posição vendida, e vice-versa).

O prazo mínimo para firmar um contrato a termo é de 16 dias e o máximo é de 999 dias. Assim, na data de vencimento do contrato, quem realizou a compra deve fazer o pagamento do valor acordado, independentemente da variação de preço no objeto da negociação.

Logo, se o ativo ou derivativo estiver mais barato que no momento contratado, o comprador terá que assumir o prejuízo — caso contrário, terá lucro. Em relação ao vendedor, ele receberá o valor do objeto da negociação somado aos juros pactuados, semelhante ao funcionamento da renda fixa.


Começando a investir? Obtenha agora um ebook grátis com 4 dicas de investimentos


Quais as suas vantagens e desvantagens?

Agora que você sabe o conceito e funcionamento do contrato a termo, é necessário entender as vantagens e desvantagens desse tipo de contratação.

Um dos principais benefícios de utilizar os contratos a termo é a possibilidade de aproveitar a variação de preços em um curto espaço de tempo para tentar obter lucro. Além disso, ele pode ser usado como forma de proteção (hedge), principalmente ativos de alta volatilidade.

Ademais, o contrato a termo permite operar alavancado — isto é, não é preciso ter o capital correspondente ao total da negociação para fazer as operações. Afinal, o pagamento é postergado para a data de vencimento, o que permite você reunir o capital até a data combinada.

Contudo, é preciso ter a margem de garantia exigida para as operações. Já no que diz respeito às desvantagens, vale destacar que operar alavancado aumenta os riscos da operação, principalmente no curto prazo.

Escolher ativos ou derivativos com muita volatilidade pode resultar em perdas significativas se você não tiver um bom gerenciamento de risco. Outra desvantagem é a baixa liquidez, pois não há um mercado secundário.

Em termos financeiros, liquidez é a rapidez de converter um investimento em dinheiro. Nesse caso, será preciso encontrar outro interessado em fazer a operação inversa para se desfazer da posição, o que nem sempre será possível.

Quando fazer um contrato a termo?

A escolha por fazer um contrato a termo varia de investidor para investidor. Logo, antes de tomar uma decisão, é preciso avaliar o seu perfil de risco, bem como os seus objetivos financeiros. Dependendo dessas características, operar em outro tipo de mercado pode ser mais apropriado.

Porém, se você concluir que o mercado a termo faz sentido para as suas necessidades, é possível utilizá-lo para proteger a sua carteira de investimentos ou especular no curto prazo.

Um investidor que precise de caixa, por exemplo, pode vender ações no mercado à vista e comprá-las no mercado a termo. Como o pagamento é feito apenas na data futuro, é possível manter o capital da venda naquele momento.

Conseguiu compreender como funciona o contrato a termo? Caso tenha ficado com dúvidas, não deixe de procurar o auxílio de uma assessoria de investimentos para entender mais sobre essa alternativa.

Quer fazer investimentos inteligentes? Entre em contato com a nossa equipe de assessores de investimentos!


Dúvidas sobre o assunto? Se inscreva no canal Luis Outi - Investidor Independente e fique por dentro dos assuntos mais comentados



Calculadora de IR