Educação Financeira

O que é inflação e como ela impacta seus investimentos

Por
Voltar

Os movimentos da inflação afetam o cotidiano de muitas pessoas ao aumentar os preços de produtos e serviços. Entretanto, esse não é o único impacto. Eles também podem interferir nos seus investimentos de diversas formas — e não importa se é renda fixa ou variável.

Por isso, vale a pena entender o que é inflação e sua relação com os seus investimentos. Assim, você pode descobrir como proteger seu patrimônio dos efeitos dela.

Neste artigo você entenderá o conceito de inflação e conhecerá algumas alternativas de investimentos atrelados a ela para proteger seu portfólio.

Confira!


Baixe gratuitamente o nosso simulador de investimentos


O que é inflação?

A inflação é um termo da economia utilizado para denominar o aumento generalizado e contínuo dos preços de bens e serviços ao longo do tempo. Ela é calculada com base em uma cesta de produtos, que inclui os principais setores que impactam a vida das famílias brasileiras.

Por exemplo, alimentação, habitação, saúde, transporte e educação. Portanto, a inflação alta costuma diminuir o poder de compra do consumidor. Mas, por que isso acontece? Para entender, é importante saber quais são as suas causas.

A inflação normalmente é decorrente de um desequilíbrio entre oferta e demanda. Por exemplo, se a procura por um determinado item aumenta de forma rápida, dificilmente será possível garantir o fornecimento para todos.

Isso porque as empresas têm uma capacidade produtiva limitada. Diante da alta procura, o preço desse item tende a subir para aproveitar as oportunidades de ganhos. Essa dinâmica pode gerar inflação.

Além disso, ela pode estar associada ao aumento nos custos de produção. Com um custo maior, a produção tende a diminuir. Então a oferta de um determinado produto cai — gerando inflação.

Há, ainda, outras causas que contribuem para o aumento da inflação ao longo do tempo. Por exemplo, as ações do Governo que aumentam o volume de dinheiro circulando no país. No longo prazo, isso acarreta aumento de demanda e pode gerar uma alta nos preços.

Cabe lembrar que esses fatores não atuam de forma isolada. Eles são movimentos cíclicos, ou seja, uma prática afeta a outra.

Quais são os principais índices de inflação?

Existem diversos índices que medem a oscilação dos preços. Eles diferem entre si no conjunto de fontes utilizadas no cálculo — como faixas de renda, regiões, itens de consumo e até mesmo períodos.

Entenda o que mede cada um dos principais indicadores brasileiros:


Começando a investir? Obtenha agora um ebook grátis com 4 dicas de investimentos


Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA)

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) é o indicador oficial da inflação no país. Calculado mensalmente pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), ele identifica a variação do custo de vida das famílias brasileiras com renda mensal de até 40 salários mínimos.

Esse cálculo também considera uma cesta de produtos e serviços consumidos por essa população. Por exemplo, alimentação, habitação, saúde, educação e vestuário. A ponderação de cada item é realizada com base na Pesquisa de Orçamento Familiar.

Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC)

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) é um índice de correção monetária. Ele é utilizado para corrigir o poder de compra dos salários por meio da mensuração das variações de preços de uma cesta de consumo.

A população alvo do INPC são as famílias com renda mensal até 5 salários mínimos, residentes em áreas urbanas incluídas no Sistema Nacional de Índice de Preços ao Consumidor (SNIPC). Esse índice também é calculado pelo IBGE.

Índice Geral de Preços (IGP)

O Índice Geral de Preços (IGP-M) analisa os preços do comércio no atacado, no varejo e na construção civil. Por isso, ele é calculado, pela Fundação Getúlio Vargas (FGV-SP), com base na média aritmética de outros índices de preços.

São eles: Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), Índice de Preços ao Consumidor (IPC) e Índice Nacional de Custo da Construção (INCC).

Qual é o impacto da inflação nos seus investimentos?

Você já sabe que a inflação impacta a vida dos brasileiros. Afinal, ela pode fazê-los perder dinheiro com a sua alta, pois é necessário ter quantias financeiras maiores para fazer as mesmas compras. Além disso, ela interfere nos investimentos de diversas maneiras.

A principal questão refere-se à rentabilidade. Se você aporta em um investimento que renda abaixo da inflação, estará perdendo poder de compra. Assim, mesmo que obtenha rendimentos, eles não resultarão em um ganho real.

Por isso, é sempre necessário considerar a rentabilidade real. Esse retorno se refere aos ganhos acima da inflação. Isso é importante porque, como você viu, é o ganho real que faz com que o seu patrimônio cresça efetivamente.

Uma das maneiras de garantir isso é investindo em aplicações atreladas à inflação. Assim, você pode ter maior segurança em relação a rendimentos reais — mesmo que a inflação aumente. Essa pode ser uma forma de diversificar e proteger sua carteira de investimentos.

Quais são as alternativas de investimentos atreladas à inflação?

Você viu que é possível investir de modo a se proteger da inflação. Para isso, é preciso conhecer alternativas de investimentos disponíveis no mercado atrelados a essa taxa.

Confira!


Quer investir com a ajuda de um especialista? Receba o auxílio gratuito de um assessor de investimentos


Tesouro IPCA+

O Tesouro IPCA+ é um dos títulos públicos — e tem rentabilidade indexada à inflação. Nesse caso, o indexador é o próprio IPCA. Sua remuneração é do tipo híbrida. Isso significa que, além do indicador variável, há também uma taxa fixa, de modo que haja rentabilidade real.

Letra de crédito imobiliário (LCI) e de agronegócio (LCA)

Existem, ainda, opções de títulos privados atrelados à inflação. Como exemplo, podemos citar a letra de crédito imobiliário (LCI) e a de agronegócio (LCA). Essas aplicações, quando apresentam rendimentos híbridos, podem oferecer ganhos acima da inflação.

Fundos de inflação

Outra opção são os fundos de inflação. Eles são alternativas de investimentos da renda fixa que podem proteger seus recursos da alta dos preços. Uma das vantagens de recorrer a eles é a praticidade, pois um gestor é o responsável por compor a carteira do fundo.

Neste artigo você viu o que é inflação e conheceu algumas alternativas de investimentos atreladas a ela. Ainda, entendeu como esse índice impacta nos seus investimentos, de forma direta e indireta. Então considere os efeitos dela na sua carteira e busque diversificação!

Se quiser conferir mais informações atualizadas sobre investimentos, siga nosso perfil no Instagram, no Facebook e no Twitter e se inscreva em nosso canal no YouTube!


Calculadora de IR