Educação Financeira

Oferta pública inicial: 4 vantagens e riscos de participar de um IPO

Por
Voltar

Quando o assunto é investimento em ações, é praticamente impossível não falar em oferta pública inicial (IPO). Esse é um dos eventos mais importantes e esperados no mercado financeiro, porque marca a estreia de uma empresa na bolsa de valores.

Isso desperta o interesse dos investidores e especuladores que estão em busca de oportunidades. Contudo, um IPO também pode trazer riscos. Portanto, vale a pena saber mais sobre o assunto e se preparar para tomar as melhores decisões.

Neste artigo, você entenderá o que é e como funciona uma oferta pública inicial. Também verá as 4 vantagens e os riscos de participar de um IPO.

Confira!

O que é IPO?

Como você viu, uma oferta pública inicial ou IPO é a estreia de uma empresa no mercado de ações. Ou seja, é quando ela abre o seu capital na bolsa de valores e seus papéis são negociados diretamente com os investidores e especuladores.

No entanto, vale a pena saber que o IPO, apesar de estar constantemente associado às ofertas de ações de empresas, também é válido para outros investimentos de renda variável. Por exemplo, os fundos de investimento imobiliário (FIIs).

Como esses fundos são negociados na bolsa, também ocorre a abertura para os investidores. Durante o IPO são feitas as primeiras vendas de ações e cotas. Nesse caso, o dinheiro pago por investidores é direcionado para a empresa ou fundo.

Depois da oferta pública inicial, a compra e a venda de ações e de cotas fundos acontecem no mercado secundário. Nele, as negociações são realizadas entre os próprios investidores e especuladores, de modo que o dinheiro não vai para o emissor.


Baixe gratuitamente o nosso simulador de investimentos


Como funciona o IPO?

O processo de abertura de capital de uma empresa começa quando ela decide vender suas ações ao público por meio da bolsa de valores. Primeiramente, deve ser realizada uma auditoria para analisar todos os aspectos financeiros da companhia.

Se estiver tudo em ordem, a empresa deverá apresentar os documentos necessários para a Comissão de Valores Mobiliários (CVM), fazer o seu registro na bolsa de valores brasileira (B3). É preciso, ainda, cumprir todos os requisitos estabelecidos.

Após a aprovação, é necessário elaborar um prospecto — uma espécie de documento que apresenta informações relevantes para o investidor. Ele deve conter dados completos sobre a oferta das ações no mercado e a empresa.

Por exemplo, são informados os principais direitos e responsabilidades dos acionistas e os tipos de ações negociadas. Além disso, deve haver registros sobre o histórico da empresa, expectativas de crescimento e as previsões sobre o futuro.

Antes da inauguração, ainda há a definição do preço final por meio do processo conhecido como bookbuilding. Ele é usado para avaliar a intenção de compra dos ativos com base na demanda para estabelecer um preço justo.

Por fim, as ações são disponibilizadas na bolsa. Para participar de um IPO, o investidor precisará acessar um home broker na plataforma da sua corretora de valores. Assim, poderá conferir a oferta e demonstrar interesse em participar.

Por que uma empresa faz IPO?

Muitas pessoas têm dúvidas sobre essa oferta. Afinal, por que as empresas fazem IPO? O principal objetivo de uma companhia ao abrir o capital é captar mais recursos. Eles podem ser utilizados para financiar projetos, melhorias e expansões.

Na maioria das vezes, essa é uma solução de levantar capital de forma mais barata quando comparado com os créditos bancários. Além disso, ser listada na bolsa de valores aumenta a exposição de uma empresa e eleva sua perspectiva de crescimento.


Aprenda a operar opções com o nosso treinamento Invista em Opções


Quais as 4 vantagens de participar de um IPO?

Agora que você entende o que é e como funciona a oferta pública inicial, será que vale a pena comprar ações nesse momento? Participar de um IPO de ações pode ser interessante para o investidor e o especulador por diversos motivos.

Entre eles, destacam-se:

1. Participar do negócio desde a sua estreia

O IPO pode ser atrativo para quem deseja investir pensando a longo prazo. Com isso, ter a chance de conquistar uma boa rentabilidade com a valorização da empresa — caso ela tenha bons resultados. Assim, o investidor pode participar do negócio desde a sua estreia e colher os frutos depois.

2. Comprar ações a preços interessantes

Outra vantagem de participar de um IPO é a possibilidade de comprar ações a preços vantajosos. Isso porque, dependendo das expectativas do mercado, a primeira venda pode acontecer com preços mais baixos. Se elas se valorizarem, o investidor se beneficiará dessa alta.

3. Diversificar a sua carteira de ações

A abertura de capital na bolsa permite que você possa se tornar acionista de novas empresas, diversificando a carteira. Com essa estratégia de investimento, é possível reduzir o risco de suas aplicações e aumentar as chances de ter uma boa rentabilidade.

4. Fazer especulações nesse movimento de estreia na bolsa

Os especulares costumam aproveitar a euforia da estreia das empresas na bolsa de valores para obter lucros com a oscilação dos preços dos papéis logo no primeiro dia. Para isso, eles fazem o chamado flíper — ou flipagem. No caso, reservam ações antecipadamente para vender depois.

Quais os riscos de participar de um IPO?

Como todo investimento, participar de um IPO também apresenta riscos. Entre eles, está a dificuldade de fazer uma análise fundamentalista da empresa. Afinal, não há um histórico sobre o desempenho dos ativos financeiros para avaliação.

Outro risco de participar de um IPO é a dificuldade de encontrar o valor justo de uma ação que está estreando. Ainda que seja realizado o bookbuilding, você não tem certeza de que o preço é vantajoso.

O IPO também tem maiores riscos por conta das flutuações mais dinâmicas nos preços durante a estreia na bolsa. Eles podem variar muito ao longo do dia. Assim, é preciso saber lidar com a volatilidade. Para reduzir riscos, é importante tomar alguns cuidados.

Por exemplo, conhecer ao máximo a empresa e verificar se ela tem condições de apresentar bons resultados a longo prazo. Isso pode ser feito por meio das informações contidas no prospecto e de informações adicionais.

Agora você sabe tudo o que precisa sobre a oferta pública inicial. Afinal, já entende mais sobre um IPO e conhece 4 de suas vantagens e riscos. Para decidir participar ou não de um, não se esqueça de avaliar seu perfil de investidor e seus objetivos financeiros, além de analisar a empresa.

Você se interessou pelas ofertas públicas iniciais e quer investir com mais segurança nessa alternativa? Entre em contato conosco e veja como podemos ajudá-lo!


Dúvidas sobre o assunto? Se inscreva no canal Luis Outi - Investidor Independente e fique por dentro dos assuntos mais comentados



Banner