Entendemos que ao comprar um título de CDB o investidor empresta dinheiro a um banco, certo? Este, por sua vez, assumiu o compromisso de devolver o valor com juros, dentro de um prazo especificado. 

Mas o que acontece, por exemplo, se o banco quebrar? Do mesmo modo que a poupança, o CDB está garantido pelo FGC, sigla para o Fundo Garantidor de Crédito. 

Em suma, é este um dos órgãos que traz estabilidade ao sistema financeiro, pois atua para garantir investimentos e depósitos aos clientes se o banco falir até um determinado limite financeiro.

Em relação ao CDB e a muitos outros investimentos de renda fixa, caso o banco emissor do título quebrar, o FGC garante o ressarcimento de até R$ 250 mil por CPF e por instituição financeira. Além disso, existe um teto de R$ 1 milhão, a cada período de 4 anos, para garantias pagas para cada CPF ou CNPJ.

Agora que você entendeu que o investimento em CDB é seguro,Apesar de cada vez mais pessoas começarem a procurar por educação financeira, a verdade é que o brasileiro continua com o hábito de guardar seu dinheiro na caderneta de poupança.

Os mais bem informados com relação ao rendimento deste investimento, no entanto, já sabem que a saída é procurar por produtos no mercado financeiro tão seguros quanto e que tenham uma rentabilidade maior que a poupança. E muitas dessas pessoas encontram no CDB a solução. 

Dito isso, é hora de lhe fazer uma pergunta: você sabe o que é o CDB e como este produto funciona? Para entender bem e não errar nas suas escolhas, preparamos este artigo completo sobre o assunto.

Acompanhe!

Entenda o que é CDB

CDB é a sigla para Certificado de Depósito Bancário. Refere-se a um título de investimento emitido por bancos, para que essas instituições possam financiar as suas operações.

O CDB é um produto de renda fixa. Por isso, costuma ser o primeiro passo de muitas pessoas que procuram por um tipo de investimento que ofereça uma rentabilidade um pouco maior da tradicional poupança e igual segurança.

A dinâmica do Certificado de Depósito Bancário é simples. Como todo título de renda fixa, de um lado temos uma instituição que emite títulos de empréstimos. Do outro temos um investidor que adquire este título e, em troca, recebe uma taxa de juros ao final do período acordado entre ambas as partes (investidor e instituição).

No caso do CDB, quem emite o título é um banco. Portanto, na prática, ao investir em Certificado de Depósito Bancário, o investidor empresta seu dinheiro à instituição bancária com a promessa de recebimento de juros na data combinada.

Mas, o CDB é seguro?

 Vamos conhecer um pouco mais sobre os tipos de CDBs existentes.

Quais são os tipos de CDBs?

Em termos de rentabilidade, existem três tipos de CDB: o pré-fixado, o pós-fixado e o híbrido.

No CDB pré-fixado o investidor fica sabendo, no momento da aplicação, qual rendimento terá ao final do prazo. Em outras palavras, a rentabilidade é preestabelecida.

Já o CDB pós-fixado é o mais comum no mercado. Neste tipo de título a rentabilidade está vinculada a um indicador, que oscilará até o final da aplicação. Geralmente, o indicador utilizado é o CDI – o qual por sua vez, segue a Taxa Selic.

Sendo assim, ao investir em um CDB que renda 100% do CDI, por exemplo, o investidor sabe que seu título renderá praticamente a variação da Selic.

O CDB híbrido, por sua vez, acompanha as variações de um indexador – como, por exemplo, o IPCA, que é o índice utilizado para medir a inflação no Brasil. Ele é chamado de híbrido porque, além do IPCA, este título paga uma taxa pré-fixada. 

É o caso, por exemplo, de um CDB que paga IPCA + 2% ao ano.

Como é o prazo e como funciona a tributação do CDB?

O prazo do CDB varia conforme o emissor e o título escolhido. Alguns títulos oferecem liquidez diária, isto é, possibilitam ao investidor resgastes em até um dia útil. Por outro lado, nesse caso, a rentabilidade pode não ser tão interessante.

A maior oferta de CDBs, no entanto, possui um prazo de vencimento maior, sendo que algumas instituições financeiras permitem resgates da aplicação antes do prazo de vencimento. No entanto, atente-se ao fato de que resgatar um CDB antes do seu vencimento padrão pode não ser um bom negócio – como você descobrirá a seguir.

Até aqui você entendeu o prazo de vencimento dos CDBs. Quando tratamos de Certificado de Depósito Bancário, no entanto, há também o prazo de carência. No momento que o prazo de carência é cumprido, o investidor pode resgatar seu dinheiro com liquidez diária sem ser penalizado.

Por esse motivo, antes de aplicar seu dinheiro em CDB, certifique-se quais são seus objetivos e quando você precisará do dinheiro. Caso seja, por exemplo, para fins de reserva de emergência, o indicado é procurar por um CDB que ofereça liquidez diária. 

Lembre-se que, em muitos casos, um resgate antecipado de um investimento pode gerar perdas ao investidor. Por isso a importância de investir de acordo com o prazo dos seus objetivos.

Tributação 

Em relação à tributação, existe uma tabela regressiva para investimentos em CDBs. Ela beneficia quem mantém o investimento por mais tempo. Por isso, novamente, é importante se atentar ao prazo de vencimento da sua aplicação.

Observe a seguir:

  • Investimento até 180 dias: alíquota IR de 22.5%
  • Investimento 181 dias a 365 dias: alíquota IR de 20%
  • Investimento 366 dias a 720 dias: alíquota IR de 17.5%
  • Acima de 720 dias: alíquota IR de 15%.

Adicionalmente, tenha em mente que o Imposto de Renda incide apenas sobre o rendimento, e não sobre o valor total do investimento.

Como investir em CDB?

É possível investir em CDB por meio de instituições financeiras, como bancos e corretoras. Para tal, o investidor deve abrir uma conta e escolher o título que melhor lhe atender. 

É possível encontrar títulos de bancos menores com aplicações mínimas inferiores a R$ 1 mil. Todavia, normalmente, quanto maior for o valor da aplicação mínima e o prazo, maior tende a ser a rentabilidade.

Caso você encontre dificuldades em escolher o tipo de CDB que mais se aplica às suas necessidades e ao seu bolso, é possível contar com a ajuda de um assessor de investimentos.

Concluindo

Como você descobriu no artigo de hoje, o CDB possui a mesma garantia que uma aplicação em caderneta de poupança, a qual também conta com a proteção do FGC. Em contrapartida, a rentabilidade destes títulos pode ser superior à do investimento mais popular do país.

E não se esqueça que, se você pretende investir em um título de CDB ou qualquer outro investimento, tenha bem definido qual é o seu objetivo e qual o valor você reservará para os aportes.

E então, conseguiu entender melhor sobre o que é CDB? Caso tenha ficado com alguma dúvida, deixe seu comentário ou nos envie uma mensagem. Será um prazer lhe ajudar!

A pontuação dos nossos leitores
[Total: 8 Média: 5]