O mercado financeiro é um ambiente de inúmeras possibilidades para investidores e traders que buscam obter lucros com as mais diferentes operações. Mas, você sabia que é possível investir com pouco dinheiro em muitas ações? Por mais estranho que possa parecer, é sim possível investir muito com pouco capital disponível graças ao que chamamos de Operação a Termo.

No artigo de hoje você conhecerá um pouco mais sobre este tipo de operação e descobrirá os motivos pelos quais vale a pena fazer uma operação a termo, além das possibilidades de lucro e os riscos envolvidos nesta modalidade.

Você aprenderá:

Acompanhe!

Curso Investidor Independente

O que é o mercado a termo?

Antes de saber mais sobre as operações a termo, é importante que você entenda o que é o mercado a termo.

O mercado a termo é o ambiente no qual duas partes assumem o compromisso de compra e venda de uma determinada quantidade de ativos.

No caso das operações a termo, as partes envolvidas ficam vinculadas entre si até a liquidação do contrato – uma data futura previamente acordada entre o comprador e o vendedor das ações no momento da abertura da operação.

Mas, afinal, o que é uma operação a termo?

Uma operação a termo é uma modalidade operação na qual é possível operar muito com pouco capital disponível no mercado financeiro.

Em determinadas situações, e possível operar até cinco vezes o que você possui disponível na corretora – seja renda fixa, ações ou mesmo dinheiro.

Na prática, uma operação a termo pode ser conceituada como uma operação a prazo e com juros no mercado financeiro.

Imagine, por exemplo que você deseja comprar um determinado bem que custe R$ 2 mil à vista ou R$ 2,2 mil para pagamento em 90 dias.

Agora suponha que você opte por comprar o item à prazo.

Neste caso, você já estará com o bem escolhido e terá assumido o compromisso de pagar R$ 2,2 mil por ele.

Se você desistir da compra, precisará revender o equipamento para um terceiro e continuará com a obrigação de pagar a loja 90 dias após a compra.

Este processo é bastante similar em uma operação a termo: em uma determinada operação a termo, uma ação é vendida para pagamento em uma data pré-determinada, a uma determinada taxa de juros.

Desta maneira, o comprador poderá realizar a operação de seu interesse e comprar ações que não poderiam ser compradas por falta de capital em outras situações – comprometendo-se, por outro lado, a pagar um valor extra pela cotação do papel no momento da fomentação do negócio.

Quem compra a termo, portanto, paga um valor superior ao preço de mercado de ação, mas garante a oportunidade de realizar uma determinada operação de seu interesse.

Para o vendedor, esta é mais uma maneira de receber rendimentos dos seus investimentos.

Porque operar no mercado a termo?

São duas principais razões para que um investidor realize operações no mercado a termo. Confira quais são elas:

Investir mais com pouco

O primeiro motivo de se operar no mercado a termo – ou operar termado – é poder realizar, como já falamos, uma operação no mercado e aproveitar eventuais oportunidades que possam aparecer sem possuir capital disponível para esta operação.

Você pode, portanto, investir em mais ações com pouco dinheiro.

Suponha que você esteja interessado em operar no mercado e que você possua, por exemplo, títulos do Tesouro Direto – que são aceitos como garantia para operações no mercado à vista – ou ações, mas que não deseje desfazer destes seus investimentos.

Assim como no caso do mercado de ações, você também poderá utilizar estes investimentos como garantia para operações no mercado a termo.

Por isso, em situações nas quais você encontra uma oportunidade no mercado – baseada em uma análise técnica ou fundamentalista, por exemplo – mas não deseja se desfazer dos seus investimentos para operar, pode optar por realizar uma compra a termo das ações destas empresas das quais você tem interesse.

Você pode, portanto, utilizar seus investimentos como garantia da operação e realizar esta compra – tornando o mercado a termo uma excelente opção para casos como este.

Basta colocar estes investimentos em ações ou renda fixa como garantia da operação, assumindo um risco consciente enquanto não perde a oportunidade de fazer uma operação.

Vale ressaltar, entretanto, que, caso um investidor que está em uma “operação termada” no mercado utilize como garantia uma ação do mesmo segmento, sua exposição ao risco será muito maior na comparação com aquele outro investidor que utiliza como garantia suas aplicações em renda fixa.

Portanto, é importante ter cautela antes de entrar em uma operação e verificar todos os riscos inerentes antes de operar no mercado.

Oportunidade de alavancagem

O segundo motivo para realizar operação a termo é por conta da alavancagem.

Por meio desta operação, o investidor pode alavancar seus investimentos – aumentando os riscos, mas também alavancando o potencial de retorno de uma determinada operação.

Desta maneira, é possível ter pouco capital disponível e operar muito.

E, diferente da alavancagem em day trade, a operação a termo permite que o investidor mantenha a operação alavancada por semanas ou meses – até que o ativo atinja seu objetivo.

Imagine que você deseja investir R$ 1 mil e tenha utilizado R$ 1 mil investido no Tesouro como margem para operar ações a termo.

Dependendo do deságio da operação – por exemplo, 30%, você utilizará apenas 30% do valor disponível como margem da operação – o que lhe possibilitará comprar ainda mais ações utilizando apenas os R$ 1 mil do Tesouro como margem de garantia.

É o que chamamos de alavancagem.

É importante esclarecer, no entanto, que os riscos também se elevam nesta situação – na mesma proporção de ganhos. Por isso, é preciso se atentar aos riscos antes de fazer uma operação a termo, jamais negligenciando o manejo de risco.

E quais são os custos envolvidos?

Como a operação a termo é uma espécie de financiamento, existem custos envolvidos.

Estes custos variam de acordo com cada instituição, com o prazo da operação e com os papéis escolhidos, mas sempre haverá a cobrança de juros durante o prazo da operação.

É importante ter em mente também que, na prática você já inicia a operação a termo com um saldo devedor – uma vez que você se compromete a pagar os juros do período pré-determinado para a operação.

Se a sua operação estiver lhe causando perdas, no entanto, saiba que é possível antecipar o fechamento da operação a termo.

É possível também estender a operação, em caso de necessidade – fazendo o que chamamos de rolagem.

Para fazer a rolagem, basta que o investidor negocie o valor da taxa de juros para os dias posteriores e se comprometa a paga esta dívida no final da operação – desde que haja garantia.

Não se esqueça, entretanto, que, se a perda da operação for muito grande, existe sempre a possibilidade de a bolsa solicitar o fechamento da operação – devido ao excesso de risco.

Conclusão

Se bem utilizadas, as operações a termo podem ser uma excelente ferramenta para quem opera no mercado financeiro.

Antes de fazer esta operação, contudo, não deixe de verificar os custos e riscos envolvidos e procure sempre fazer um bom manejo de risco.

Em caso de dúvidas, consulte seu assessor de investimentos.

Agora que você já sabe como funcionam as operações a termo e as possibilidades que ela oferece ao investidor de investir com pouco em muitas ações, que tal conhecer mais sobre o Delta Hedge? Clique aqui e saiba mais!

A pontuação dos nossos leitores
[Total: 2 Média: 5]