Se eu te dissesse para você fazer uma trava de alta, porque se você fizer, seria possível investir na bolsa de valores sem correr riscos desnecessários e estar protegido, você acreditaria?

Se você nos acompanha tanto no YouTube, quanto aqui no blog, já sabe que isso é possível por meio de operações com opções, onde usamos estratégias no mercado de derivativos para nos proteger.

Dentre as várias estratégias, existem as travas, que podem ser a travas de alta e as travas de baixa (se você deseja ler nosso artigo sobre travas de baixa, pode ler aqui).

Neste artigo falaremos como usar as travas de alta para investir em ações e opções arriscando muito pouco, ficando completamente protegido em suas operações.

Se você está começando no mercado de renda variável e deseja saber mais sobre o assunto, convido a ver nosso curso básico de opções.

O que você irá aprender neste artigo:

O que é uma trava de alta?

Trava de alta é uma operação estruturada onde você compra uma opção e vende outra opção.

Essas opções podem ser do tipo call, que são opções de compra ou opções do tipo put, que são opções de venda.

E em via de regra, usamos as opções do tipo americanas pelo fator de liquidez aqui no Brasil.

Essas operações podem ser no dinheiro (ATM)dentro do dinheiro (ITM) e fora do dinheiro (OTM). 

Isso nada mais é do que probabilidade da operação com opções dar certo.

As que estão fora do dinheiro proporcionam lucro maior, porém, por consequência, uma probabilidade menor.

E as que estão mais dentro do dinheiro são as que têm a probabilidade maior de acontecer, mas possuem um lucro menor, se comparado com a as que estão fora do dinheiro.

Como funciona a trava de alta?

Na imagem a seguir, para melhor entendimento, você pode ver com o funciona uma trava de alta.

Do ponto A ao ponto B você pode observar o seu lucro.

Nas laterais onde há uma linha (tanto do lado direito, quanto do esquerdo) você fica travado na operação, tanto no lucro, quanto no prejuízo.

O ponto B é onde fica o seu lucro máximo e no ponto A é onde fica o seu prejuízo máximo.

Essas operações podem ser montadas em cima de ações, como PETR4, VALE5, ITUB4, GGBR3, USIM5.

Também pode montar trava de alta em cima de contrato-futuro, como índice, dólar, milho, soja, boi.

Existem estruturas até em ativos atrelados ao DI e ao IPCA, mas existe um fator que sempre deve ser levado em consideração ao montar uma trava de alta: a liquidez.

Na grande maioria das vezes, as operações com mais liquidez envolvendo opções são sobre ações para o próximo vencimento, que acontece toda terceira segunda-feira de cada mês.

Dúvidas comuns

Mas você pode se perguntar:

“Por que eu iria me interessar em montar uma operação de trava de alta que eu já sei que a ação vai subir e limitar o meu lucro máximo?”

E a resposta é simples, caro leitor: pelo risco envolvido. O objetivo da trava é justamente minimizar ao máximo o risco envolvido.

“Mas nesse caso não seria melhor simplesmente colocar um stop loss e stop gain na ação que estou operando?”

Isso funciona também, mas em determinados momentos a ação faz alguns movimentos com gap, pula o stop loss e a ação continua caindo.

Se você não acompanha muito o mercado, isso pode ser muito prejudicial.

O uso do stop loss é importantíssimo, mas mesmo assim, não podemos descartar certos riscos.

Na trava de alta, você simplesmente acaba colocando um stop loss forçado e automático, impossível de ser pulado ou rompido.

Exemplos

Por exemplo, se você compra ações da Petrobrás (PETR4) no valor de R$15,00 e por algum motivo ela quebra ou acontece o pior cenário possível com ela.

Em uma operação de compra de ações, você perdeu todo o seu capital investido. De R$15,00 vai para R$0,00.

Se você realiza uma trava de alta, mesmo se o ativo ir à R$0,00, seu prejuízo máximo será o estipulado no começo da operações, podendo ganhar R$1,00 e perder R$0,50 ou ganhar R$1,20 e perder R$0,30.

Até mesmo você pode montar uma estrutura e poder ganhar R$0,99 e estar sujeito a perder R$0,01.

Obviamente, nesse último caso, a probabilidade de acontecer é menor, mas ainda assim é possível. Você que escolherá o balanço do seu prejuízo na sua operação.

Existe alguma desvantagem?

Mas em qual cenário, montar uma operação de trava de alta é uma desvantagem?

De uma forma resumida: em um cenário em que o mercado dispare.

Por exemplo, você compra ações da empresa x à R$10,00 e ela acaba sendo comprada por uma empresa muito maior e as ações dela dispararam.

No outro dia, as ações dela disparam e sobem de R$10,00 para R$30,00.

Infelizmente, se você está com uma operação montada e seu spread é de R$2,00, você apenas obterá lucro até os R$12,00.

Se seu spread é de R$5,00, você ganharia a diferença entre R$10,00 e R$15,00 e o restante do movimento você não aproveitaria.

Se você tem forte confiança de que a ação vai subir, você pode montar uma trava fora do dinheiro ou apenas comprar as ações, colocando seu stop loss.

Conclusão

Operações com opções são muito utilizados por aqueles que usam análise técnica para operar na bolsa de valores.

Eles usam travas de alta justamente pela proteção, caso suas projeções e análises dêem errado.

Operações de trava de alta são uma das mais indicadas para quem está começando no mercado de opções ou até mesmo no mercado de ações pelo nível de proteção existente.

A pontuação dos nossos leitores
[Total: 2 Média: 5]