Muitos investidores procuram estratégias para ganhar no mercado de renda variável. O que muitos iniciantes ficam em dúvida é como ganhar com o mercado em queda. Por isso, neste artigo vamos mostrar como você pode fazer isso usando uma trava de baixa, que uma operação conhecida no mercado de opções ou derivativos.

O que você irá aprender neste artigo:

O que é uma trava de baixa?

Trava de baixa é uma operação em que consiste em você vender uma call e comprar uma call (opções de compra) com a mesma data de vencimento. Você também pode vender uma put e comprar uma put (opções de venda).

Essas operações podem ser no dinheiro (ATM)dentro do dinheiro (ITM) e fora do dinheiro (OTM). 

Isso nada mais é do que probabilidade da operação com opções dar certo.

As que estão fora do dinheiro proporcionam lucro maior, porém, por consequência, uma probabilidade menor.

E as que estão mais dentro do dinheiro são as que têm a probabilidade maior de acontecer, mas possuem um lucro menor, se comparado com a as que estão fora do dinheiro.

Por que fazer uma trava de baixa?

Quando o trader realiza uma operação de venda descoberta* ele está exposto à um risco infinito. Por quê? Bem, imagine que você comprou ações por R$10,00 cada.

Elas correm o risco de chegar à zero e você sabe até onde foi o prejuízo. Mas, quando você vende o que você não tem, no caso da venda de uma ação, ela pode subir de R$10,00 para R$100,00 ou para R$1.000,00. Ou seja, o risco é infinito.  

A trava de baixa serve justamente para travar esse prejuízo infinito, dando segurança para o investidor.

*Se você não sabe o que é venda descoberta, aconselho você a assistir esse vídeo que eu fiz sobre a operação BTC.

Um segundo motivo para se fazer operações de derivativos com travas de baixa é a chamada de margem.

Dependendo da corretora ou do banco que você tem conta, quando você opera vendido, por exemplo, com R$10.000,00, vai acontecer uma chamada de margem de 120% na sua conta. Ou seja, você precisará ter em conta R$12.000,00.

Pode até ser em títulos públicos, CDB que sejam aceitos ou outras ações.

Porém, na trava de baixa você consegue se posicionar em uma operação com viés de baixa com o mesmo tamanho e só irá chamar de margem cerca de R$2.000,00, R$1.500,00 ou até mesmo R$1.000,00.

Isso é um fator muito positivo, pois o restante do seu capital fica liberado e aplicado em outros investimentos.

Mas como tudo não são flores, ela também limita o seu lucro máximo.

Na venda descoberta, apesar dos riscos infinitos, o trader pode aproveitar toda a queda, por exemplo, de R$10,00 até zero.

Já em opções, essa queda é reduzida a R$2,00, por exemplo. De R$10,00 até R$8,00, R$7,00 no máximo.

É uma média em que o investidor vai se sentir satisfeito com o lucro.

Não é ruim, mas quando o ativo cai demais, você pode ficar pensativo. Para muitos, isso é um ponto negativo.

Mas não devemos pensar assim, devemos pegar esse lucro, encerrar a operação e partir para outra, e somar para um lucro global.

É bem melhor ter o valor limitado do que estar inseguro não é mesmo?

O que podemos encarar como um ponto negativo de fato é o fator da alavancagem.

Alavancagem

Lembra do exemplo da chamada de margem em que conseguimos montar uma operação de R$10.000,00 com uma chamada de margem de apenas R$2.000,00?

O que muitos podem pensar é:

“Usou apenas R$2.000,00? Então eu posso aumentar a minha operação 5 vezes, que vai chamar os R$10.000,00 que eu tenho ali na conta, daí se cair, eu não vou ganhar 2, vou ganhar 10.”

Isso é o que chamamos de alavancagem.

Se você não conhece ou não sabe se vale a pena, recomendo que assista esse vídeo onde eu abordo esse assunto com mais detalhes e mostro como você estaria se alavancando sem saber.

O ideal é que você sempre monte suas operações e estratégias do tamanho do seu capital.

Não alavanque suas operações para não correr um risco desnecessário.

Também gravei um vídeo com o mesmo assunto e convido você a assistir.

Como eu ganho?

O lucro máximo da operação de trava de baixa corresponde ao spread (ou diferença da compra e da venda) recebido no momento em que a operação foi criada.

Por exemplo, com base na imagem abaixo, imagine que você venda 1000 opções da BBAS3 por R$2,58 cada com strike a R$28,92 e compre 1000 opções do mesmo ativo-objeto por R$1,90 com strike a R$29,92.

A diferença entre o que você adquiriu na venda e o que você pagou na compra na montagem da operação é o que chamamos de spread.

Logo, você recebeu R$2.580,00 (1000 x 2,58) e pagou R$1.900,00 (1000 x 1,90) ficando com um total de R$680,00.

Esse valor de R$680,00, caso o strike se confirme e o ativo-objeto fique abaixo de R$28,92, é o seu lucro máximo da operação.

Caso o strike fique entre R$28,92 e R$29,92, você levará um certo prejuízo, podendo obter ainda um pouco de lucro ou ficar no zero a zero na operação.

Agora se o strike ficar acima de R$29.92, ficando por exemplo R$30,00, R$40,00 e até R$50,00, seu prejuízo fica travado em R$320,00.

Assim, você já sabe em uma operação de trava de baixa, quanto é o seu lucro máximo e seu prejuízo máximo.

Esperamos que tenha gostado deste artigo, se ficou alguma dúvida, deixe seu comentário para que possamos te ajudar a entender melhor.

A pontuação dos nossos leitores
[Total: 1 Média: 5]