Educação Financeira

Fundos multimercados: o que são e como investir?

Por
Voltar

Uma das máximas do mercado financeiro é: para diminuir os riscos ao investir, é necessário diversificar a carteira de investimentos. O principal objetivo é equilibrar a rentabilidade e a exposição aos riscos a partir da diversificação de produtos na carteira.

Há diversas formas de se se obter essa diversificação. Uma delas é investir em fundos multimercados e contar com esta modalidade de investimentos no portfólio.

Se você ainda não conhece os fundos multimercados e a descrição acima despertou seu interesse, está no lugar certo. Continue a leitura e entenda o que são e como investir nestes fundos disponíveis aos investidores brasileiros.

Acompanhe!



Baixe gratuitamente o nosso simulador de investimentos



O que são fundos de investimentos?

Para que você entenda o que são os fundos multimercados, começaremos com um breve resumo sobre os fundos de investimento. Diferente do que muitos acreditam, os fundos de investimento não são um produto financeiro. Trata-se de um veículo de investimento ou uma modalidade de investimento cuja dinâmica é coletiva.

Um grupo de investidores, também chamados de cotistas, reúne seus recursos em prol de um objetivo em comum: alcançar bons rendimentos, que serão distribuídos de acordo com a quantidade de cotas de cada integrante do grupo.

O patrimônio do fundo é construído a partir dos aportes dos cotistas. E a gestão do montante fica a cargo de um gestor profissional, que é remunerado a partir da cobrança de uma taxa de administração.

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) divide os fundos de investimento em 4 classes:

1. fundos de renda fixa;

2. fundos de ações;

3. fundos cambiais;

4. fundos multimercados.

Neste post, você conhecerá mais sobre os multimercados, como funcionam e como investir nessa modalidade de investimento. Continue conosco e saiba mais!

O que são fundos multimercados?

Os fundos multimercados, como o nome sugere, podem ser compostos por diferentes tipos ativos. Isso significa que, ao optar por um fundo de investimentos dessa classe, você poderá estar diversificando sua carteira entre ações, títulos públicos e privados, e outros produtos e ativos.

Uma das características dos fundos multimercados é, portanto, o seu dinamismo. O investidor pode encontrar multimercados com diferentes estratégias e níveis de risco. Ou seja, as chances de encontrar um fundo adequado ao seu perfil e aos seus objetivos são bastante altas.

Como eles funcionam?

Na realidade, os fundos multimercados não têm regras fixas. Quando o investidor decide integrar um grupo de cotistas de um multimercado, ele está ciente de que o gestor pode realizar aportes em diferentes tipos de produtos – como ações, câmbio e renda fixa.

A composição do portfólio do fundo dependerá da estratégia adotada pelo gestor e do que está estabelecido no regulamento do multimercado em questão.

Os cotistas não interferem na composição do fundo. A escolha dos ativos é exclusivamente do gestor. Por este motivo, é muito importante ter atenção quanto à escolha do fundo que mais se alinha às suas necessidades e perfil.

Além disso, vale ressaltar que os fundos multimercados costumam cobrar uma taxa de administração – para remuneração do gestor, como você já sabe. E, eventualmente, pode haver também a cobrança de uma taxa de performance – quando a rentabilidade do fundo supera seu índice de referência (benchmark).



Aprenda a operar opções com o nosso treinamento Invista em Opções



Quais as classificações dos fundos multimercados?

Para entender melhor como os fundos multimercados funcionam e identificar os fatores de risco, é necessário conhecer suas classificações, de acordo com a Associação Brasileira das Entidades do Mercado Financeiro e de Capitais (Anbima).

Eles se dividem em Alocação, Estratégia e Investimento no exterior. Entenda o que cada uma delas representa:

Alocação

Relacionadas aos ativos de maneira geral, como ações, câmbio, rendas fixas, entre outros, esse tipo de fundo multimercado busca por retornos no longo prazo a partir de alocações diversificadas.

 Essa categoria se subdivide em dinâmicos e balanceados, onde:

• dinâmicos — têm uma política mais flexível, cuja composição da carteira varia de acordo com as condições do mercado e permite alavancagem;

• balanceados — não admitem alavancagem e políticas são previamente estabelecidas.

Estratégia

Diz respeito aos fundos que buscam resultados por meio de estratégias individuais de investimento. Nessa categoria, o foco está na postura do gestor do grupo – mais ativa – e não na alocação em si.

Esses multimercados se subdividem, entre outros grupos, em:

trading e long & short — aumentam o risco dos investimentos, já que estes gestores exploram as variações de curto prazo do mercado, mas podem oferecer maiores rentabilidades;

multimercados livres — os gestores têm liberdade de atuação, não se comprometendo com estratégias previamente definidas;

multimercados de capital protegido — aqui, os gestores utilizam estratégias de proteção total ou parcial do capital investido enquanto buscam retornos em mercados de maior risco;

estratégia específica — gestores que buscam investimentos com riscos específicos e já conhecidos – como futuros de índices, por exemplo.

Investimentos no exterior

Como o próprio nome sugere, está relacionada aos investimentos feitos no exterior, quando representam mais de 40% do patrimônio líquido do grupo.

E, diferente da categoria de estratégias, não há subdivisões nos fundos multimercados de investimentos no exterior.

Quais são os riscos?

Pelo fato de não haver regras previamente estabelecidas, os riscos dos fundos multimercados também podem variar de acordo com os objetivos e estratégias de cada um.

Por este motivo, o investidor deve ter atenção na hora de investir em fundos multimercados, verificando se a estratégia está alinhada aos seus objetivos e perfil.

Com base nessa característica, os principais riscos que o investidor pode encontrar nesta modalidade de investimento incluem:

• risco de liquidez — cotistas que precisam reaver suas cotas em pouco tempo podem ter que vendê-las por um valor menor que o esperado. Em alguns casos, podem até não conseguir concluir a operação no período desejado;

• risco de mercado — risco comum em diversas modalidades de investimento, nas quais o investidor está sujeito às oscilações dos ativos (ou, neste caso, das cotas);

• risco de alavancagem — quando o gestor utiliza estratégias de alavancagem em suas operações, os cotistas acabam se expondo, indiretamente, aos riscos da alavancagem – podendo obter rendimentos interessantes ou amargar prejuízos.

Perceba que os riscos dos fundos multimercados estão diretamente ligados ao portfólio e às estratégias do fundo. Por este motivo é tão importante se atentar à lâmina do fundo e às suas estratégias antes de fazer um aporte.

Como investir em multimercados?

Agora que você sabe o que são os multimercados talvez acredite que esta alternativa é interessante para a sua carteira de investimentos. Mas, como fazer seus aportes em multimercados?

Confira um passo a passo bastante simples para tomar a melhor decisão:

• Conheça o seu perfil de investidor;

• Avalie se as taxas estão de acordo com a estratégia adotada pelo fundo;

• Procure informações sobre o fundo e seu gestor, avaliando o histórico de operações e o desempenho ao longo dos anos;

• Leia atentamente o regulamento do fundo e suas estratégias;

• Certifique-se de que a liquidez e os riscos correspondem aos objetivos do seu investimento.

Respeitando essas etapas ficará muito mais fácil escolher o multimercado mais adequado para a suas necessidades!

Precisa de ajuda para conhecer os melhores fundos multimercados para sua carteira? Então entre em contato conosco!



Quer investir com a ajuda de um especialista? Receba o auxílio gratuito de um assessor de investimentos



Banner Palhano Investimentos