Educação Financeira

Mercado primário e secundário: você conhece as diferenças?

Voltar

Os investimentos não funcionam sempre da mesma maneira. Eles apresentam diferenças relevantes. Inclusive, em relação aos ambientes e às formas como são negociados. Além da divisão básica entre renda fixa e renda variável, existem outras importantes.

Por exemplo, a distinção entre mercado primário e mercado secundário. É importante conhecer ambos, pois você pode precisar negociar nos dois durante sua vida como investidor. Então, que tal saber mais?

Neste conteúdo, você poderá ver o que é cada um destes mercados e quais são as diferenças mais importantes entre eles para basear suas escolhas. Vamos lá?



Baixe gratuitamente o nosso simulador de investimentos



O que é o mercado primário?

Chama-se de mercado primário o primeiro ambiente onde os ativos são colocados para negociação. Quando isso acontece, os investimentos são oferecidos diretamente do emissor para os investidores.

Ou seja, você não compra os ativos de outro investidor, mas da própria empresa ou instituição financeira que os emitiu. Podemos dizer, então, que os investimentos acabaram de ser criados e são oferecidos diretamente aos compradores.

Pela sua lógica de funcionamento, o mercado primário é uma forma das empresas e instituições atraírem recursos. Logo, quando alguém investe em ativos desse mercado está disponibilizando dinheiro para o emissor.

Veja alguns exemplos práticos:

Exemplo de mercado primário na renda fixa ?

A renda fixa é um conjunto de títulos emitidos pelo Governo Federal ou por instituições privadas para obter recursos de investidores e financiar suas atividades. O mercado primário se dá, então, no oferecimento direto dos ativos.

Quando você faz um investimento por meio da plataforma do Tesouro Direto, por exemplo, está adquirindo os títulos de maneira direta do governo. Assim, o dinheiro investido vai para ele – e você adquiriu seu ativo no mercado primário.

O mesmo acontece quando o investidor aporta em títulos da renda fixa privada — como Certificados de Depósito Bancários (CDBs), Debêntures ou Letras de Crédito (LCs). No mercado primário, o dinheiro investido por você está sendo, basicamente, emprestado para as empresas ou bancos.

Caso o título seja levado até o vencimento, o investidor receberá os juros correspondentes do emissor, recebendo de volta o seu dinheiro. Em casos de resgates antecipados, alguns títulos são revendidos no mercado secundário.

Exemplo de mercado primário na renda variável

A renda variável reúne investimentos diversos. Entre os mais conhecidos estão as ações — que representam partes do capital social de uma empresa. Quem compra ações se torna sócio das companhias.

Quando se trata do mercado primário, você está investindo diretamente na empresa. Ou seja, o dinheiro gasto comprando ações irá para a companhia e será usado nas atividades e na ampliação do negócio.

Isso acontece por meio da Oferta Pública Inicial, ou IPO. Ele é o primeiro lançamento de uma empresa na bolsa de valores. Logo, se dão as vendas iniciais dos papéis, diretamente entre a empresa e o investidor.

Os IPOs são realizados como forma de atrair mais capital para o negócio, que pode investir muito mais e crescer no mercado. Contudo, uma vez que todos os papéis tenham sido comprados por investidores, as próximas negociações deles não se dão mais no mercado primário.

O que é o mercado secundário?

Como você viu, o mercado primário é aquele que estabelece negociações diretas entre o emissor do título ou das ações e o investidor. O que seria, então, o mercado secundário? É o próximo passo: a negociação entre dois investidores.

O mercado secundário recebe investimentos que já foram oferecidos e vendidos anteriormente. Agora, eles podem ser revendidos de um investidor para outro, sem que o dinheiro vá novamente para o emissor.

Afinal, o título ou ativo foi comprado e está em posse de um investidor. Logo, ele pode optar por se desfazer do investimento, vendendo para outra pessoa. O valor pago fica para ele, que já havia comprado o ativo anteriormente.

As atividades do mercado primário são mediadas pelo emissor — que define, por exemplo, o preço a cobrar. No secundário, a dinâmica é diferente. O valor dos ativos é regulado pela lei da oferta e demanda, de acordo com a busca de quem está interessado em comprá-los.

Confira exemplos de negociações desse tipo, para renda fixa e renda variável:

Exemplo de mercado secundário na renda fixa

Normalmente, a principal forma de investir em aplicações da renda fixa é por meio do mercado primário. Você aporta seu dinheiro através da plataforma do Governo Federal ou de corretoras de valores e investe em um determinado título.

Entretanto, também existem negociações no mercado secundário para a renda fixa. No caso, são vendidos títulos cujos proprietários originais têm desejo de se desfazer. Por exemplo, um CDB que o investidor pretende resgatar antes do prazo.

Ele pode ser oferecido para outro investidor no mercado secundário, por valores que geralmente são diferentes do original. Por isso, em alguns casos, há o risco de ter prejuízo ao vender títulos de renda fixa antes do vencimento.

Para acessar o mercado secundário da renda fixa é preciso entrar em contato com a assessoria de investimentos ou a equipe da corretora. Isso porque a plataforma não está acessível facilmente a investidores.

Exemplo de mercado secundário na renda variável

Em relação à renda variável, ocorre o contrário da renda fixa: a maioria das negociações acontece no mercado secundário. Como você viu, o mercado primário é usado somente quando a empresa apresenta as primeiras ações (ou lança seus papéis no mercado). Ou quando lança uma nova oferta de ações – conhecido como follow-on.

Depois disso, todas as compras e vendas acontecem entre os investidores na bolsa de valores. Inclusive, essa é uma das oportunidades da renda variável, pois é possível aproveitar as oscilações de preço dos ativos para lucrar vendendo ações a preços maiores do que comprou.



Adquira agora uma apresentação gratuita sobre investimentos em opções e saiba mais sobre esses derivativos da Bolsa



Qual é a relação entre mercado primário e secundário?

Ao conhecer as principais informações sobre os dois mercados, você conseguiu perceber as diferenças entre eles, certo? Mas qual é a relação entre eles? Na verdade, ambos são complementares.

O primeiro oferece a negociação direta entre investidor e emissor, enquanto o segundo possibilita maior dinâmica ao proporcionar que investidores negociem os ativos entre si.

Nesse sentido, uma das principais funções do mercado secundário é gerar liquidez para os ativos. Assim, os investidores conseguem se desfazer de investimentos, passando o ativo para frente e recebendo dinheiro por eles.

Como você pode ver, os dois mercados são importantes e úteis para os seus investimentos. A opção por cada um depende do seu perfil e objetivos. Afinal, é possível participar de um IPO na bolsa ou comprar ações de companhias que já estão listadas nesse ambiente.

Agora você sabe como funcionam o mercado primário e o secundário, tanto na renda fixa quanto na renda variável. Percebeu como os dois conceitos são fundamentais para compreender seus investimentos?

Então que tal saber mais sobre os investimentos de renda variável? Temos um guia completo sobre como investir na bolsa!

Banner

Luis Outi

https://investidorindependente.com/

Amante do mercado financeiro. Trabalho no mercado financeiro desde 2008, especializado no mercado de renda variável e de derivativos, também conhecido como opções.